Home Futebol Tostão exalta treinador de time do Brasileirão Série A: “Ideias inteligentes”

Tostão exalta treinador de time do Brasileirão Série A: “Ideias inteligentes”

Ex-jogador, campeão da Copa do Mundo de 1970, aponta conhecimento técnico, tático e ainda atitude humanista de técnico

Marcel Rauen
Jornalista esportivo formado na Universidade Estadual de Londrina (UEL). Fã e praticante de esportes em geral, mas principalmente do futebol. No Torcedores desde 2015, escrevo basicamente sobre o dia a dia dos clubes brasileiros e sobre a mídia esportiva
Tostão

O ex-jogador e atualmente comentarista Tostão (Divulgação)

O futebol brasileiro tem recebido cada vez mais treinadores estrangeiros, principalmente portugueses e sul-americanos, enquanto os brasileiros vão perdendo espaço. Mas o “ressurgimento” de um técnico brasileiro foi bastante exaltado por Tostão.

PUBLICIDADE

O ex-jogador e atual colunista do jornal “Folha de S.Paulo” exaltou Roger Machado, atual treinador do Juventude, finalista do Campeonato Gaúcho deste ano.

“Deu empate por 0 x 0 na primeira partida da decisão do Gauchão entre Juventude e Grêmio. Como é bom ver o técnico Roger Machado na final do estadual e no comando de uma equipe da primeira divisão do Brasileirão. Além do conhecimento técnico, tático, Roger Machado é um treinador humanista, ético, com ideias inteligentes sobre o futebol e a vida”, elogiou Tostão.

PUBLICIDADE

Após o empate contra a equipe de Renato Gaúcho no último sábado, o Juventude de Roger Machado precisará vencer o segundo duelo para ficar com o título do Gauchão.

As duas equipes se enfrentam neste sábado (6), na arena gremista, às 16h30 (horário de Brasília).

Em caso de novo empate, a decisão será nos pênaltis.

Tostão critica clubes brasileiros por incoerência

Na mesma coluna, o comentarista ainda criticou os clubes brasileiros por reclamarem dos longos estaduais e pouparem importantes jogadores em duelos da Libertadores para disputarem as finais dos mesmos estaduais.

PUBLICIDADE

“Os clubes e os treinadores das equipes brasileiras, que criticam com razão o calendário e os longos estaduais, poupam jogadores importantes na primeira rodada da Libertadores e da Copa Sul-americana, com a finalidade de terem todos os titulares nas decisões dos estaduais. É, no mínimo, contraditório”, disparou Tostão.

“Os longos estaduais, que atrapalham bastante o calendário, não servem nem para fazer uma ótima preparação para outras competições. Os longos estaduais são boas ocasiões para politicagem, troca de favores e para se ganhar dinheiro, ainda mais com a avalanche de propagandas das empresas de apostas esportivas, regulamentadas, que estão presentes em todo o mundo”, completou o ex-jogador.