Home Futebol Muricy Ramalho sinaliza treinador “totalmente diferente” no Brasil hoje

Muricy Ramalho sinaliza treinador “totalmente diferente” no Brasil hoje

Coordenador do São Paulo também fez questão de valorizar legado de Felipão dentro do futebol nacional

Bruno Romão
Bruno Romão atua, como redator do Torcedores.com, na cobertura esportiva desde 2016. Com enfoque em futebol brasileiro, futebol internacional e mídia esportiva, acumula experiência em eventos como Copa do Mundo e Olimpíadas. Possui diploma de bacharelado em Jornalismo pela Universidade Estadual da Paraíba.
Muricy Ramalho.

Muricy Ramalho, coordenador do São Paulo (Reprodução)

Em entrevista ao “Zona Mista do Hernan“, Muricy Ramalho recebeu o desafio de escolher entre Dorival Júnior e Fernando Diniz. Por conta do histórico atrelado ao técnico da seleção, o coordenador técnico do São Paulo, responsável pela transição profissional do comandante do Brasil, levou em conta a proximidade no trabalho fora das quatro linhas na decisão.

PUBLICIDADE

“São dois excelentes treinadores. Eu tenho uma história com o Dorival. Ele foi meu jogador e foi meu auxiliar. Eu que incentivei ele a ser treinador de futebol porque trabalhava no escritório do Fluminense. Eu levei ele como meu auxiliar no Figueirense. Não tem como, é muito próximo.”, disse.

Mesmo sem escolher Fernando Diniz, Muricy fez questão de exaltar o estilo de Fernando Diniz. Atualmente no Fluminense, o técnico campeão da Libertadores é visto como bastante diferenciado no Brasil.

PUBLICIDADE

“Com o Diniz, eu trabalhei muito pouco. Peguei mais o finalzinho do São Paulo com ele. Mas é um treinador totalmente diferente de tudo que você vê.”, acrescentou.

Na sequência, Muricy respondeu outra questão envolvendo dois técnicos. Inicialmente, o profissional do São Paulo trouxe detalhes sobre a investida de Tite para levá-lo à seleção. Apesar do convite tentador, o momento do Tricolor influenciou na resposta negativa.

“Eu virei amigo do Tite porque ele foi um cara muito humilde de vir na minha casa me convidar para ir na Copa do Mundo com ele. Já tinha sido convidado pelo Juninho e pelo presidente da CBF. Eu expliquei que não podia porque o momento do São Paulo não estava bom. Uma saída não era legal, o clube não estava bem. Ele entendeu a situação e viramos amigos. Gosto muito dele.”, contou.

Muricy exalta currículo de Felipão

Dono de opiniões convictas, Muricy colocou Felipão acima de Tite. Como o técnico pentacampeão do mundo esteve à frente de uma conquista histórica na seleção, o título de 2002 teve peso na escolha.

PUBLICIDADE

“O Felipão foi campeão, cara. Eu tenho privilégio com o cara que é campeão. O que marca no futebol é o cara campeão. O Telê foi bicampeão do mundo no São Paulo, é o maior treinador da história do São Paulo. Eu não posso abrir mão do campeão. Tenho que falar do Felipão.”, concluiu.

18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial