Home Futebol Euller aponta artilheiro do futebol brasileiro que “dá para comparar” com Romário 

Euller aponta artilheiro do futebol brasileiro que “dá para comparar” com Romário 

Ex-jogador sinalizou dois principais parceiros de ataque que teve ao longo da carreira nos gramados

Bruno Romão
Bruno Romão atua, como redator do Torcedores.com, na cobertura esportiva desde 2016. Com enfoque em futebol brasileiro, futebol internacional e mídia esportiva, acumula experiência em eventos como Copa do Mundo e Olimpíadas. Possui diploma de bacharelado em Jornalismo pela Universidade Estadual da Paraíba.
Euller.

Euller, ex-jogador de Vasco e Palmeiras (Reprodução)

Atuando por times como São Paulo, Vasco, Atlético-MG, Palmeiras, além da seleção, Euller jogou ao lado de grandes craques. Mesmo assim, um dos companheiros possui um maior destaque. Isso porque o desempenho com Romário se encontra marcado na memória do ‘Filho do Vento’, tendo em vista a capacidade do Baixinho em facilitar o jogo em campo.

PUBLICIDADE

“O Romário (foi o melhor parceiro). Para botar a bola para dentro do gol, finalizar, posicionar dentro da área e aproveitar minha característica foi o Romário.”, contou Euller, ao podcast Reis da Resenha.

Assim como o período junto de Romário, Euller valorizou a parceria com Evair no Atlético-MG. Dono de uma grande capacidade de balançar as redes, um dos principais goleadores do futebol brasileiro mostrou, na visão do antigo colega de ataque, a mesma qualidade de Romário para aproveitar chances para balançar as redes.

PUBLICIDADE

“Eu tive uma grande participação também, foi pouco tempo, mas eu adorei jogar ao lado do Evair no Atlético-MG. Dá para comprar no que diz respeito a aproveitar oportunidades de fazer gol. O Evair era um espetáculo para fazer gol. O Romário é indiscutível, mas, se fosse para eleger um segundo, seria o Evair.”, afirmou.

Euller revela que esteve perto do Flamengo

Procurado pelo Flamengo, Euller recusou atuar no rival do Vasco. Em 2004, após receber uma proposta positiva, o ex-jogador não quis ser pago pelo clube enquanto os demais atletas estavam com salários atrasados, algo que fez a oferta ser negada.

“Carrasco? Ah, sem dúvidas foi o Flamengo (risos). Eu tinha uma vontade de jogar no Flamengo. Tive uma proposta para ir e eu recusei. Foi em 2004, quando o Flamengo estava passando por uma situação muito difícil. Recebi uma proposta e não aceitei por não me sentir bem de receber dinheiro e os companheiros sem receber nada.”, relatou.

18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial