Home Futebol Trajano defende saída de Dorival Júnior da seleção brasileira e indica quem deve assumir

Trajano defende saída de Dorival Júnior da seleção brasileira e indica quem deve assumir

Comentarista não tem gostado do trabalho do treinador brasileiro na seleção e sugeriu troca imediata na equipe

Matheus Camargo
Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), colaborador do Torcedores.com desde 2016. Radialista na Paiquerê 91,7.
dorival, seleção

Dorival Júnior no comando da seleção brasileira no SoFi Stadium (Rafael Ribeiro/CBF)

José Trajano defendeu que um técnico estrangeiro, sem citar qual, assuma a seleção brasileira na vaga de Dorival Júnior.

PUBLICIDADE

Durante o programa Posse de Bola, do UOL Esporte, Trajano disse que como Carlo Ancelotti não veio após a negociação com o Real Madrid, a CBF deveria buscar outro treinador de fora do país.

“Nós temos que trazer um técnico de fora. Não foi o Ancelotti? Traga outro. Nenhum brasileiro vai dar jeito na seleção. O Dorival, com todo o respeito, é trabalhador, é sério, está há muito tempo no futebol, mas não é técnico para a seleção”, disparou José Trajano durante o programa do UOL.

PUBLICIDADE

Trajano admitiu que problemas da seleção pesam sobre Dorival Júnior

O comentarista deixou claro que Dorival Júnior não é o maior responsável por todos os problemas do Brasil, mas que a eliminação para o Uruguai pesa sobre ele.

Trajano ainda lembrou que os maiores técnicos do futebol mundial estão em clubes e não trocariam seus atuais trabalhos para comandarem seleções. Entretanto, destacou que há um “mercado de técnicos de seleções”, citando por exemplo a troca de Roberto Martínez, espanhol, que estava na Bélgica e hoje comanda a seleção de Portugal.

“Ele não é responsável por todos os problemas na seleção, mas no momento vai pesar sobre ele. Os grandes treinadores de futebol são treinadores de clube: Guardiola, Klopp, Ancelotti – e outros. E há uma legião de treinadores que são especialistas em seleções. O cara sai da Bélgica e vai para Portugal. Tem um grupo assim. Talvez tenha que ser um desses aí”, deixou claro José Trajano, que seguiu:

“Porque é diferente treinar uma seleção e um clube. O técnico que pegar a seleção brasileira, por ter um intervalo muito grande entre pegar os jogadores para observar, treinar, o técnico tem que fazer política dentro da CBF.”

PUBLICIDADE
18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial