Time titular do Botafogo mostra bom jogo coletivo na estreia, mas defesa ainda precisa de ajustes

Glorioso conquistou a primeira vitória na temporada ao bater o Macaé por 3 a 1 no Estádio Nilton Santos; atacante Pedro Raul e meias Bruno Nazário e Luiz Henrique foram os destaques do Botafogo na partida

Luiz Ferreira
Produtor executivo da equipe de esportes da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, jornalista e radialista formado pela ECO/UFRJ, operador de áudio, sonoplasta e grande amante de esportes, Rock and Roll e um belo papo de boteco.

Crédito: Vítor Silva / Botafogo

Mudança de postura, velocidade, intensidade e organização. Esses foram os trunfos do Botafogo na estreia do time titular na temporada diante do Macaé, neste último domingo (26). E muito mais do que a conquista dos três pontos, o resultado positivo aliviou um pouco a pressão sobre o elenco alvinegro por conta das duas derrotas sofridas pelo time reserva (contra Volta Redonda e Madureira) nas duas primeiras rodadas da Taça Guanabara. Além disso, a atuação do quarteto ofensivo formado por Luiz Henrique, Luiz Fernando, Pedro Raul e Bruno Nazário (principalmente estes dois últimos) deram outra cara ao time com um jogo mais vertical, objetivo e criativo a partir do meio-campo. O único porém continua sendo o sistema defensivo. Apesar da boa vitória, o Macaé criou algumas chances claras de gol e poderia ter complicado a vida do Botafogo. Mesmo assim, o trabalho de Alberto Valentim na “mini” pré-temporada parece ter dado bons frutos dentro de campo.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Antes de mais nada, vale destacar que o Botafogo entrou em campo com uma equipe mais equilibrada e rejuvenescida. Armada no 4-2-3-1 preferido de Alberto Valentim, o Glorioso foi aos poucos impondo seu ritmo de jogo baseado nos passes e na visão de jogo de Bruno Nazário. O camisa 10 foi um dos melhores em campo e pinta como a solução dos problemas de criação no meio-campo alvinegro que eu e você vimos em 2019. Ao mesmo tempo, o garoto Luiz Henrique e o atacante Pedro Raul também estiveram muito bem e se movimentaram bastante. A construção do primeiro gol do Botafogo, inclusive, passa pelos pés do quarteto ofensivo. Fernando recebe na direita, tem a aproximação de Thiaguinho, mas vê Luiz Fernando se lançando no espaço vazio pela ponta. O lateral faz o lançamento e todo o time se posiciona para abrir o campo e a defesa do Macaé com Luiz Henrique chegando pela esquerda, Pedro Raul pelo centro e Bruno Nazário mais atrás para esperar uma possível sobra. Fazia tempo que não víamos um Botafogo tão intenso e tão organizado no ataque.

Fernando recebe a bola, vê Luiz Fernando e faz o lançamento. Pedro Raul vê a jogada e se posiciona de modo a receber o cruzamento. O primeiro gol do Botafogo foi uma boa demonstração de como o 4-2-3-1 de Alberto Valentim funciona nas transições ofensivas. Foto: Reprodução / Premiere

Além de Bruno Nazário (o melhor em campo na opinião deste que escreve), vale destacar também as atuações seguras de Cícero, Luiz Fernando e Gatito Fernández. Por outro lado, um ponto que anda chama a atenção e que precisa de ajustes por parte do técnico Alberto Valentim é o sistema defensivo. É bem verdade que o desentrosamento natural do início de temporada ainda é o principal motivo pela falta de consistência, mas é preciso lembrar que, apesar do placar tranquilo, o Macaé ameaçou algumas vezes e não encontrou muita dificuldade para encontrar espaços no campo do Botafogo. Além disso, não foram poucas as vezes em que a marcação sob pressão no adversário pareceu descoordenada. Já se sabe que o 4-2-3-1 de Alberto Valentim se fecha em duas linhas na frente da área quando a equipe é atacada. E o grande problema está na sincronização dos movimentos. Não foram poucas as vezes em que a zaga deixou espaços que não foram cobertos pelos laterais e pelos volantes. É algo que precisa da atenção da comissão técnica.

A defesa do Botafogo é um dos setores da equipe que mais precisa de atenção do técnico Alberto Valentim. Não somente pelo desentrosamento natural do início da temporada, mas pela falta de sincronia nos movimentos e pelos espaços deixados à frente da área. Foto: Reprodução / Premiere

A estreia do time titular do Botafogo na temporada foi boa e deixou ótima impressão para as próximas partidas da equipe na temporada. Sobretudo a sequência da Taça Guanabara e a partida contra o Caxias pela Copa do Brasil. Por outro lado, a necessidade de um entrosamento maior dos reforços com a proposta de jogo do técnico Alberto Valentim ainda é o principal problema a ser resolvido a curto prazo junto com os já citados problemas defensivos. Guilherme Santos e Thiaguinho não comprometeram, mas se mostraram um pouco hesitantes em determinados momentos da partida. Ao mesmo tempo, a dupla de zaga formada por Marcelo Benevenuto e Joel Carli pareceu um pouco pesada na perseguição aos atacantes adversários. Esse ponto é algo que precisa da atenção de Alberto Valentim nessas últimas (e decisivas) partidas da Taça Guanabara e na Copa do Brasil. De resto, a equipe como um todo parece ter entendido bem aquilo que seu treinador quer. Intensidade e organização foram os pontos fortes do Botafogo no último domingo (26).

É bem verdade que ainda é muito cedo para falar se o Glorioso terá um ano mais calmo e mais feliz do que o que passou. A estreia dos reforços dão a impressão de que Alberto Valentim e a comissão técnica podem estar no caminho certo. A única dúvida é se a equipe vai manter a pegada contra equipes mais fortes.

LEIA MAIS:

Botafogo 3 x 1 Macaé: confira os gols da partida pelo carioca

Luís Henrique sobre primeiro gol como profissional do Botafogo: ” O dia mais feliz da minha vida”