Olimpíadas 2020: saiba como está a preparação dos atletas brasileiros

Os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 terão início no dia 24 de julho; confira como estão os brasileiros na preparação para as olimpíadas ou na busca por uma vaga

Cleverton Silva
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução/Site Oficial Tóquio 2020

As Olimpíadas de Tóquio estão chegando. O maior evento poliesportivo do planeta terá início em julho deste ano, e claro, o Brasil estará presente em diversas modalidades luta por uma medalha.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Na última quarta-feira (29), o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) realizou uma reunião com os presidentes das confederações brasileiras dos esportes olímpicospara analisar o ano de 2019 e debater o planejamento para as Olimpíadas de Tóquio. O presidente da organização, Paulo Wanderley, falou ao site oficial do COB sobre a importância de 2020.

“Chegamos ao ano mais importante deste ciclo, ano de Jogos Olímpicos. Então é fundamental aproveitar a oportunidade para transmitir o nosso planejamento e estratégia para que os representantes das confederações tirem suas dúvidas e nos passem as suas ideias. Aproveitamos também para fazer uma retrospectiva do ano passado e esclarecer os pontos trazidos pelas Confederações”, declarou o presidente Paulo Wanderley.

Várias modalidades olímpicas estão em preparação para os Jogos, como: canoagem, ginástica artística, saltos ornamentais, e vôlei de praia.

Vôlei de praia masculino

No vôlei de praia, por exemplo, as duas duplas que irão representar o Brasil seguem com sua preparação à todo o vapor. Segundo divulgado pela CBV, Alison/Álvaro Filho e Evandro/Bruno Schmidt, que não participaram da etapa de João Pessoa, do Circuito Brasileiro, voltam às areias em Maceió, pela mesma competição, no dia 13 de fevereiro.

Alison falou sobre a preparação dele e de Álvaro para as Olimpíadas.

“Estamos em um estágio forte da parte física, exigindo mais dela, é normal que o corpo sinta mais. Ainda não chegamos na metade da pré-temporada, temos muita coisa pela frente ainda. Vamos jogar alguns torneios no meio dessa preparação, a etapa de Maceió (AL) do Circuito Brasileiro e as primeiras etapas do Circuito Mundial. Serão torneios onde ainda não estaremos no auge da nossa forma, mas vamos dar nosso melhor”.

Já Evandro, da dupla com Bruno Schmidt, destacou o entrosamento entre os dois.

“A preparação está muito intensa, a nossa pré-temporada vai ser um pouco mais longa, devido aos objetivos que nós temos. Estamos muito focados no trabalho de base, se dedicando bastante. E cada vez mais entrosados Bruno, eu e a nossa comissão técnica. Nesta última semana estamos realizando alguns amistosos, por mais que a gente não esteja no nosso 100%, alguns times estrangeiros que são fortes no Circuito Mundial estão aqui no Rio, então estamos aproveitando para fazer esses treinos simulando jogos”.

Basquete feminino

A seleção brasileira feminina de basquete está na Sérvia, se preparando para a disputa do pré-olímpico, que será realizado na França. A gerente da equipe, Adriana Santos, destacou a importância de uma boa preparação para buscar a vaga nas olimpíadas.

“As meninas estão bem focadas. Treinando intensamente. Focadas primeiramente em Porto Rico, nosso primeiro desafio. As condições aqui são as melhores possíveis, um CT apropriado para o que queríamos. Quadra, academia. Não precisamos pegar transporte. Isso facilita os horários. A quadra está livre o tempo inteiro. Podemos fazer o melhor treinamento possível. E elas, junto com a comissão técnica, estão focadas. Sabemos que não é fácil. Cada jogo será muito disputado. Tentamos proporcionar para elas tudo de melhor para pensarem só em treinar e jogar”.

O Brasil estreará no pré-olímpico contra a França, donas da casa, no dia 6 de fevereiro.

Saltos ornamentais

Entre os dias 20 e 25 de janeiro deste ano, foi realizado um training camp no CT do Time Brasil, onde forma reunidos alguns nomes dos saltos ornamentais do Brasil, como Andressa Mendes, Anna Lúcia dos Santos, Giovanna Pedroso, Ingrid Oliveira, Luana Lira, Tammy Galera, Ian Matos, Isaac Souza, Kawan Pereira e Luis Felipe Moura. As atividades foram realizadas em dois períodos, visando objetivamente a busca de vagas para os Jogos Olímpicos.

Ao site do COB, o atleta Kawan Pereira, declarou que é importante estar em um local de treinamentos onde possa manter o foco no esporte.

“Temos tudo o que precisamos aqui, e o nosso foco é exclusivo nos saltos. Não perdemos tempo com deslocamento, não precisamos sair do CT. Normalmente, venho para cá somente participar das competições, então é bom passar um tempo treinando aqui”.

Tammy Galera corroborou as palavras do companheiro, destacando ainda o “gostinho olímpico” durante os treinamentos.

“É também uma forma de sentir aquele gostinho da competição estar próxima. A estrutura aqui é de nível olímpico, não deixa a deseja para nenhum outro lugar”.

Atletismo

Os atletas de velocidade do atletismo se preparam no Laboratório Olímpico do Time Brasil. Carlos Alberto Cavalheiro, coordenador técnico de atletismo do COB, falou sobre a parceria entre o Comitê Olímpico Brasileiro e a Confederação Brasileira de Atletismo.

“É a primeira ação desse ano importante, ano olímpico. Nós temos uma ação conjugada entre COB, CBAt e o laboratório olímpico, fazendo avaliações, principalmente na área de biomecânica e fisiologia. Além disso, a gente trouxe um consultor internacional (o americano Loren Seagrave)”.

Ginástica artística masculina

A Confederação Brasileira de Ginástica, em conjunto com o COB, estão realizando, até o dia 5 de fevereiro um training camp com atletas da ginástica artística masculina. 22 atletas e 13 treinadores estão presentes nas dependências do CT do Time Brasil. cinco unidades da federação estão representados nos treinamentos: Distrito Federal, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo.

View this post on Instagram

1º Camping da seleção. Bora time

A post shared by Arthur Zanetti (@arthurzanetti) on

“Nunca houve essa quantidade enorme de atletas. Eram 12 ginastas, no máximo. E é legal ver que não tem apenas os adultos, que os juvenis estão presentes e podem entender como funciona o sistema aqui. Isso serve de experiência para eles, e a comissão técnica consegue avaliar todo mundo”, disse Arthur Zanetti, campeão olímpico em Londres, nas argolas.

Vôlei feminino e masculino

As seleções masculina e feminina do Brasil já conhecem os seus adversários na fase de grupos dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Os homens brasileiros vão encarar Estados Unidos, Rússia, Argentina, França e Tunísia. Já as mulheres, terão pela frente Japão, Sérvia, Coreia do Sul, República Dominicana e Quênia.

Renan Dal Zotto, treinador da seleção masculina, destacou a força do grupo em que seus comandados estão. Disse ainda que “todo set fará a diferença”.

“Estamos em um grupo fortíssimo e a classificação já está valendo a partir da primeira partida. Todo set vai fazer diferença para buscar a vaga nas quartas de final. Estamos atentos aos adversários do nosso próprio grupo, onde iremos enfrentar clássicos internacionais, e onde não existem favoritos. Todos vão com o que têm de melhor e temos que chegar em uma condição ótima para buscar a classificação”.

Já o treinador da seleção feminina, José Roberto Guimarães, afirmou que o grupo é bem equilibrado.

“Estamos em um grupo equilibrado. A outra chave no papel é mais forte, mas isso também gera um cruzamento muito difícil nas quartas de final. No nosso grupo, a Sérvia é a atual campeã mundial e uma das melhores equipes do mundo, o Japão vai jogar em casa, a Coreia do Sul e a República Dominicana evoluíram bastante ao longo deste ciclo olímpico e o Quênia também cresceu como equipe”.

LEIA MAIS

Olimpíadas 2020: Saiba quais são as modalidades que estão em disputa