Clubes ingleses cobram mais de R$ 2 mil para crianças entrarem ao lado de jogadores antes de partidas

Segundo o jornal inglês ‘Telegraph’, alguns clubes da Inglaterra estariam cobrando valores altos para que as crianças possam entrar em campo de mãos dadas com jogadores

Gabriel Dias
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Premier League / Divulgação

O jornal ‘Telegraph’ revelou nesta segunda-feira, 10, que clubes ingleses estariam cobrando valores altíssimos para que as crianças possam entrar em campo de mãos dadas com jogadores durante jogos da Premier League.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

De acordo com a publicação do site, times como West Ham, Nottingham Forest, Norwich e Aston Villa estão cobrando valores de até 500 libras ou mais em suas principais partidas.

O novo presidente do Comité Digital, Cultura, Media e Deporto da Câmara dos Comuns, Julian Knight, denunciou os clubes que estão elitizando a oportunidade dos torcedores entrarem em campo com os atletas.

Acompanhe as notícias do seu time pelo Facebook

“Isto está a converter-se num privilégio para os mais favorecidos, uma vez que vai completamente contra as raízes do jogo, que privilegiam a classe trabalhadora”, comentou.

O jornal reforçar que alguns clubes não adotaram essa prática, possibilitando comas crianças que entram em campo de mãos dadas com os atletas sejam selecionadas através de sorteio. É o caso de times como Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United e Newcastle.

Outro que se posicionou sobre o assunto foi o representante da Associação de Adeptos de Futebol, Malcolm Clark, que também questionou o alto valor cobrado pela equipes.

“Muito clubes doam os valores para associações de beneficiência, mas essa caridade parece ser um pouco irónica pois os altos preços impedem os mais pobres de acederem aos jogadores”, ponderou.

Leia mais:

David Luiz quer conquistar títulos com o Arsenal: “Ainda tenho fome para vencer troféus”

Guardiola recorda saída de Cristiano Ronaldo do Real Madrid e alerta Barcelona sobre eventual saída de Messi