Rodrigo Amorim diz que alojamento do Flamengo era uma jaula e pai de vítima pede respeito

Deputado famoso na internet por destruir uma placa em homenagem a Marielle Franco, se envolve em polêmica na CPI dos garotos do Ninho do Urubu

Fabio Sander
Colaborador do Torcedores

Crédito: Crédito: Reprodução Facebook Rodrigo Amorim

Nesta sexta-feira(14) ocorreu uma nova sessão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) marcada pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ) para tratar do caso dos 10 atletas da categoria de base do Flamengo que morreram na tragédia do alojamento no Ninho do Urubu. Em um dos momentos da sessão, ocorreu um desentendimento entre Darnlei Pisetta, pai do goleiro Bernardo que foi morto no incêndio e o deputado Rodrigo Amorim do Partido Social Liberal (PSL).

Os ânimos se exaltaram quando o deputado do PSL usou o termo “jaula” para se referir ao alojamento que os atletas ficavam. Foi nesse momento que Darnlei interviu e pediu  para que as vitimas do incêndio fossem respeitadas.

Acompanhe as notícias do seu time pelo Facebook

“Gostaria de colocar ao deputado uma coisa: quando o senhor se refere a jaula, cuidado. Eram os nossos filhos que estavam lá. Me deixe terminar. Se fosse seu filho, o senhor não deixaria lá se soubesse que fosse jaula. Respeitem os meninos. Assim como Landim disse que talvez não chegassem aos profissionais, peço o mesmo respeito ao senhor”, disse Pisseta.

Logo após, Rodrigo Amorim pediu desculpas e esclareceu que não usou o termo de má fé, que estava apenas tentando retratar as condições dos dormitórios: “Desculpe a rudeza do termo, jamais foi na intenção de desrespeitá-los”.

Essa CPI conduzida pela ALERJ tem o intuito de apurar as causas do incêndio que resultou na morte dos atletas do Flamengo. O Clube carioca já acertou as indenizações com todas as famílias dos atletas que estavam no local e saíram com vida, mas com as famílias das vítimas fatais, foram feitos apenas quatro acordos, restando ainda sete negociações a serem concluídas.

LEIA MAIS: