Dos campos ao teatro, 7 jogadores que pisaram no palco

Ex-atletas do Barcelona, Marseille, Sagan Tosu, Roma e outras equipes; conheça os boleiros que se tornaram atores

Alan Prodelik
Colaborador do Torcedores

Crédito: Action Images

 

O mundo de futebol tem um período específico para carreira de um jogador. Normalmente ele para em média aos 40 anos. Outros abandonam antes, por indisciplina, contusões, desinteresse ou motivos pessoais adversos.

Esta lista contempla ex-jogadores, em sua maioria, que foram para as artes cênicas, de modo particular, teatro. Começaram nos gramados e radicalizaram profissionalmente. Parando também no cinema e televisão.

Tem caso em que foi apenas uma apresentação ocasional por parte do atleta. O gostinho de ser aplaudido pela plateia.

Éric Cantona (53 anos)

Embed from Getty Images

O francês nasceu em Marselha, em meados dos anos 60. Foi revelado pelo Auxerre no início dos anos 80. Uma década depois, atuando na Inglaterra, é considerado um dos responsáveis pelo renascimento do Manchester United. Virou ídolo com a camisa 7. Ganhou apelidos como ‘’Éric, o Rei’’, ‘’Gênio’’, ‘’O Menino Mau’’ e outros.

Por essa alcunha de rebelde, Cantona protagonizou em 25 de janeiro de 1995, uma das punições mais severas da Premier League. Agrediu um torcedor do Crystal Palace após reagir às provocações. Nove meses suspenso. O episódio afastou-o da seleção e da Copa do Mundo de 1998, no qual era presença garantida. Decidiu pela aposentadoria no mesmo ano.

Já no cinema, Cantona participou de dez filmes, sendo o primeiro Elizabeth (1998). Encenou no teatro a peça ‘’Face au Paradis’’, em 2010. Interpretando um refugiado vagando pelas ruas de Paris.

Ubaldo Righetti (56 anos)

Embed from Getty Images

Ubaldo Righetti nasceu na cidade Sermoneta, na região de Lácio. O defensor foi revelado pelo Latina e depois despertou interesse da Roma, com apenas 17 anos. Era chamado de ‘’Ubi’’ no começo. Virou profissional romanista na temporada 1980/81. Foi considerado uma joia da época.

Convocado duas vezes pela seleção da Itália nas eliminatórias da Euro-1984, contra o Chipre e a extinta Checoslováquia. Participou de mais seis partidas pela Azurra. Conquistou a Copa Itália no mesmo ano e foi titular na final da antiga Copa dos Campeões, antecessora da Champions League. Acabou sendo vice-campeão, perdendo para o Liverpool.

A queda veio com a pressão de ser o astro da equipe após as saídas dos companheiros Agostino Di Bartolomei e Michele Nappi. O futebol já não era o mesmo apresentado, o rendimento diminuiu. Decidiu ser ator de teatro em 2016, protagonizando a peça ‘’ TRS. Ti regalo un sogno’’. Atualmente participa de um programa Tele Radio Stereo, na capital italiana.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Bruno Cabrerizo (40 anos)

Créditos: Globo/ Victor Pollak

Atualmente ator de novelas, filmes e teatros, o ítalo-brasileiro Cabrerizo foi jogador de futebol. Nasceu no Rio de Janeiro em 1979. Em 1994, o atleta foi incorporado ao sub-15 do Botafogo. Depois de dois anos recebeu uma oportunidade no Centro de Futebol Zico (CFZ). Ganhando elogios do Galinho, passou três meses no Flamengo, inclusive fazendo uma pré-temporada.

Antes de firmar os pés na Gávea, o Sagan Tosu do Japão contratou a promessa. Voltou ao Brasil em 2002.

Estreou como ator de teatro em 2012 em ‘’Gli Uomini Preferiscono le Tonte’’.   Passou por Portugal nas novelas ‘’A Última Mulher’’ e ‘’Ouro Verde”. Dois anos depois retornou ao Brasil. Ele está em cartaz na peça ‘’O Marido de Daniel’’ em sua terra natal.

Ronaldinho Gaúcho (39 anos)

Embed from Getty Images

Nascido em Porto Alegre, o mundialmente famoso Ronaldinho Gaúcho já participou de uma peça de teatro, na época em que esteve na Espanha. O pentacampeão do mundo com a seleção brasileira em 2002, com passagens marcantes por Grêmio, Barcelona e PSG, Gaúcho fez parte de ‘’Slatic’’, que encenava o cotidiano do mundo do esporte, no ano de 2004.

Além do brasileiro, Gerard e o búlgaro Stoitchkov compartilharam o palco. A apresentação fazia parte do Grupo O Triciclo. O craque já tem desenho animado e quadrinhos com seu nome.

 

Felipe Simas (27 anos)

Créditos: Globo/Mauricio Fidalgo

 

Nasceu no Rio de Janeiro em 1993. Antes de ser ator, Simas foi jogador nas categorias de base do Universidade Castelo Branco, Botafogo e Nova Iguaçu, e foi campeão do segundo turno do Campeonato Carioca juvenil. Até 2011 atuava no futebol local. Aos 17 anos, conciliando as duas profissões, Felipe pisou no palco na peça de Domingos de Oliveira, ‘’Contos de Verão’’.

Encenou mais três peças, Romeu na Roda, Corcunda de Notre Dame e Romeu e Julieta.

Marco Luque (45 anos)

Marco Luque caracterizado como Patropi no remake da ”Escolinha do Professor Raimundo”/ Créditos: Victor Pollak

O humorista, ator, dublador, apresentador e ex-jogador de futebol, Marco Luque   nasceu na capital paulista em 1974. Filho do ex-árbitro de futebol João Luque, Marco foi jogador de futebol a partir de meados dos anos 90.

Antes de ir para o futebol espanhol, o ex-CQC foi revelado no Santo André aos 18 anos. Próximo de entrar no time titular da equipe paulista, uma proposta da Europa seduziu. Na segunda divisão espanhola, o atacante de 1,86m jogou nos clubes Numancia e Badajóz. Em 12 meses, o idioma e o pouco refino na bola abortaram a carreira no exterior.

Tendo que escolher entre o futebol e a faculdade, Luque escolheu a segunda opção. Com talento na improvisação e no stand-up, criou vários personagens, colecionando vários shows de humor. Se destacou na peça ‘’Terça Insana’’.

Bruno Gilsoni (33 anos)

Créditos: TV Globo / Alex Carvalho

Antes de ser ator, Bruno Gilsoni foi também jogador de futebol e chegou a ser companheiro do Hernanes no São Paulo.

Nasceu no Rio de Janeiro em 1986. É meio-irmão de outro citado nesta lista, Felipe Simas. Na adolescência morou por 8 anos nos EUA. Em Los Angeles, jogava nas categorias de base do Los Angeles Galaxy e o extinto Chivas-EUA.

Voltando ao Brasil, treinou por quatro meses no São Paulo, no mesmo momento dos craques Denilson e Hernanes. Em 2007, quando o Nova Iguaçu disputou a primeira divisão do estadual, Gilsoni estava lá. Saiu para o Castelo Branco, clube da terceira divisão local na época.

Do campo à encenação, Bruno  fez sete peças teatrais. Começando por ‘’Sonhos de uma Noite de Verão’’, em 2008, passando por História dos Amantes (2014) e  ‘’Não me Toque’’ (2015).

Leia mais:

Flamengo detona Faustão por críticas sobre a tragédia no Ninho e destaca “interesses comerciais”

Altos-PI x Vasco: saiba quais as rádios transmitirão o jogo da Copa do Brasil AO VIVO