Hope Solo espera entrar no Hall da Fama do futebol nos EUA e pede julgamento sem viés político

A ex-goleira da seleção feminina americana de futebol está no topo da lista de candidatos a entrar no seleto grupo na história do país

Manoel Rodrigues
Meu nome é Manoel Rodrigues. Gosto muito de falar e escrever sobre futebol nacional e internacional, esportes americanos, vôlei, MMA e outros. Mas acima de tudo, sou alguém que é guiado por Deus e deseja levar o reino de Deus a todas as áreas da sociedade. Esse pode ser um canal para isso.

Crédito: Twitter/Reprodução

No último dia 20 de fevereiro foram revelados os nomes dos atletas que podem ingressar o Hall da Fama do futebol nos Estados Unidos.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Dentre estes nomes, está o da ex-goleira da seleção americana de futebol, Hope Solo. Ao saber definitivamente que foi indicada, ela não escondeu a sua felicidade. Além disso, ficou animada por ter a chance de deixar o seu legado exposto com a máxima honraria.

Logo depois da revelação dos candidatos, ela deu uma entrevista exclusiva ao canal ‘BeIN Sports’. De antemão, Hope Solo não conteve a emoção por estar na turma de 2020. Apesar de esperar que os seus feitos e registros pessoais sejam suficientes, ela quer obter os votos necessários para entrar nesse ano.

Entretanto, a ex-goleira levanta dúvidas a respeito de quem votará. Ainda mais, referindo-se por parte da mídia e de autoridades da Major League Soccer (MLS).

“Isso é o que me confunde, o comitê que é formado: o Comissário da MLS, o Secretário Geral da US Soccer, o Presidente da US Soccer e o que me confunde é quando um grupo de mídia designado é mencionado, e quais serão os escolhidos pela mídia e pela MLS, então não sei quem votará pela MLS e quantos pela mídia”.

O que é necessário para entrar no Hall da Fama?

Da mesma forma como expressou o que é confuso sobre a votação, Hope Solo disse que para conseguir entrar no seleto grupo de honra, é necessário obter 66,7% dos votos. Simultaneamente, a ex-jogadora espera que as políticas internas não atrapalhem o processo. Isso tudo para que ela entre no Hall da Fama do futebol nos EUA.

“Espero que a política esteja fora disso e seja positiva na votação, para mim e para o futebol dos EUA. Espero que o meu compromisso com o nosso país por quase duas décadas e meus registros pessoais falem por si mesmos. Seria uma verdadeira honra ser introduzida ao Hall da Fama”, disse a ex-goleira ao canal ‘BeIN Sports’.

LEIA MAIS

Grávida de 7 meses, Alex Morgan aparece em vídeo treinando e marcando gols; assista

Rapinoe critica COI por proibição de gestos políticos nas Olimpíadas