Mauro Cezar diz que trabalho de Valentim foi “um horror” e intensifica: “Botafogo tem que agradecer ao Fluminense”

Comentarista critica rendimento de treinador na segunda passagem pelo Glorioso e alerta para possibilidade de placar ter sido mais elástico em clássico no Maracanã

Patrick Monteiro
Repórter do Torcedores com passagens por: jornal O Fluminense (Niterói/RJ) e diário Lance. Comentarista e narrador na extinta Rádio Fluminense AM 540, onde apresentou os programas "Futebol Internacional" e "Jornada Esportiva". Ex-colunista do site Chelsea Brasil. Cobriu, in loco, a Copa do Mundo FIFA 2014, incluindo a grande final (Alemanha x Argentina), entre outros eventos, como Rio Open de tênis, Copa Brasil de Vela e Conmebol Libertadores.

Crédito: Divulgação/Facebook/Mauro Cezar Pereira

Foram 17 jogos e somente sete vitórias. Na segunda passagem por General Severiano, Alberto Valentim livrou o Botafogo do rebaixamento na reta final do Campeonato Brasileiro, mas, com oscilações em campo e nos resultados, começou 2020 sob desconfiança de parte dos torcedores. No último domingo, a derrota por 3 a 0 no clássico contra o Fluminense decretou a saída do treinador. Na visão do comentarista Mauro Cezar Pereira, a decisão da diretoria foi acertada, embora tenha sido tomada com atraso.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

“Acho que não é só uma questão de elenco. É questão é de trabalho. O trabalho do Alberto Valentim é um horror. Não é um bom treinador. Vi uma entrevista dele na sexta-feira no SporTV. Fiquei abismado como consegue falar do trabalho dele como se fosse uma maravilha. Isso dois dias depois de tomar um sufoco em Caxias do Sul e não ser eliminado pelo Caxias por um triz. É muito discurso, muita pose, mas os últimos trabalhos dele foram ruins”, opinou Mauro no programa “Linha de Passe”, da ESPN Brasil.

“O Botafogo escapou (do rebaixamento em 2019) principalmente pelos pontos do (Eduardo) Barroca, não com os do Valentim. Mas, fizeram contrato com multa alta, terminou o ano, ‘vamos com ele’. Agora, chegou a um ponto insustentável porque o Fluminense jogou como quis, o Botafogo não existiu”, reforçou o jornalista, que acredita em um trabalho mais produtivo de quem assumir a vaga do ex-comandante do time alvinegro.

“(Valentim) É um técnico que circula entre os clubes da Série A. A pose e o discurso podem ser bons, mas o trabalho é ruim. Ele é mais um que não apresenta nada. O Botafogo tem que agradecer ao Fluminense. ‘Obrigado por me dar essa pancada de 3 a 0’, até porque foi só 3 a 0, poderia ser 5, 6, não seria exagero. Então, foram ferimentos leves e provocou uma situação necessária que era demitir o técnico. Agora é acertar na contratação do novo treinador. O elenco é limitado, mas com organização pode produzir mais. O Botafogo não tinha nada disso”, intensificou.

Veja também:

Gatito liga o alerta e destaca desatenção em clássico: “Vai ser um ano complicado”

Contratado a pedido de Valentim e titular pela primeira vez, Danilo Barcelos lamenta “derrota muito dolorida”