Tite vê Firmino como “Benzema brasileiro”, elogia Vinicius Jr e Rodrygo e fala sobre Coutinho: “Precisa que o mimem”

Tite destacou que Philippe Coutinho tem a personalidade um pouco frágil e que ele precisa de carinho, mas negou ter ‘paternalista’

Danielle Barbosa
Colaboradora do Torcedores.com.

Crédito: Lucas Figueiredo/CBF

O técnico Tite, comandante da seleção brasileira, concedeu entrevista ao jornal espanhol ‘As’ e falou sobre alguns jogadores importantes para a equipe pensando no momento atual e no futuro. Os principais destaques, por exemplo, ficam por conta de Vinicius Jr e Rodrygo, revelados por Flamengo e Santos, respectivamente, e que atualmente jogam no Real Madrid.

Cartão de crédito sem anuidade? Abra sua conta Meu BMG agora!

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

“Antes do jogo contra o Peru (amistoso), quando eu tinha previsto colocar Vinicius, Casemiro me disse: ‘Oriente ele bem, míster. Fale bem com ele, deixa muito claro e explicado tudo o que tem que fazer, principalmente na parte defensiva, porque ele precisa de orientação. Vinicius tem boa índole, boa atitude, é carismático. Esta sempre aberto a aprender e melhorar, mas tem que lhe ensinar as coisas. Ele precisa ser orientado. Fale com ele, que ele vai te escutar’. Então eu falei com ele, e tudo foi fenomenal”, disse Tite, que também falou sobre Rodrygo e explicou a diferença entre eles.

“Ele (Rodrygo) é um pouco diferente. Ele tem as percepções táticas muito bem definidas em sua cabeça. Me lembro que falei para ele a primeira vez, e na segunda ele sabia exatamente o que eu queria. Tinha tudo claro. São estilos de jogadores diferentes e que não competem pela mesma posição na seleção. Se complementam, e você pode utilizá-los no que precisar”, avaliou.

Outro nome avaliado por Tite foi o do experiente meia Philippe Coutinho, que após brilhar com a camisa do Liverpool, não conseguiu ter o mesmo desempenho pelo Barcelona e tem oscilado na Alemanha, pelo Bayern de Munique. “Ele precisa de carinho, que falem com ele e o mimem. Sua personalidade é um pouco fraca, um pouco frágil. Não tem que ser paternalista. Temos que entender a forma de tirar o melhor de cada jogador. Os jogadores são diferentes, e você não pode tratá-los da mesma maneira. Mas faz falta igualdade no trato do vestiário”.

Ao comentar o momento de Roberto Firmino, que briga por posição no time titular com Gabriel Jesus, Tite foi objetivo. “É o Benzema brasileiro . Sua habilidade técnica são impressionantes. Ele pode jogar meio-campo e no ataque. E passa por um grande momento”.

LEIA MAIS:
Tite exalta liderança tática de Casemiro e entende postura do PSG com Neymar: “Tem um histórico de lesões”