Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Tiago Nunes lamenta gol sofrido pelo Corinthians: “só os deuses do futebol explicam”

Gol marcado pelo Ituano no empate contra o Corinthians veio de cruzamento errado do lateral-esquerdo Breno Lopes

Flavio Souza
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução / Corinthians TV

O Corinthians chegou ao seu sexto jogo seguido sem vitória após empatar com o Ituano na Arena Corinthians, em jogo realizado com portões fechados por conta do coronavírus. Após a partida, o técnico Tiago Nunes falou sobre o gol sofrido, analisou o desempenho do time, além de falar sobre uma possível parada do campeonato e elogiar a atuação do lateral-esquerdo Carlos.

Com o meu BMG Corinthians o seu time sempre ganha. Abra sua conta!

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Veja os principais pontos da coletiva:

Corinthians foi melhor

“Como já aconteceu em outros momentos, a gente produziu para vencer o adversário. Criamos muitas chances e sofremos um gol que só os deuses do futebol podem explicar. Um cruzamento errado para a área que acabou entrando no ângulo da nossa meta. Merecíamos a vitória, a exemplo do que já tivemos em outras partidas que não vencemos. Deveríamos ter no mínimo mais 9 pontos na competição, mas isso não aconteceu. É o momento que temos que reforçar toda hora que estamos no caminho, que estamos nos transformando, principalmente valorizar as coisas boas que temos nesse momento.”

O que falta para o Corinthians voltar a vencer?

“Falta aproveitamento, colocar as chances que para dentro. A gente infelizmente está perdendo muitos gols, muitas chances claras, coisas que não são naturais a esse momento. Existe uma pressão natural por estar no Corinthians, que é um grande clube, um clube de massa. Só que isso não pode ser transferido para dentro do campo. Ao mesmo tempo que estamos jogando bem, tem que transformar isso em aproveitamento com resultados.”

Atuação de Carlos

“Carlos foi muito bem no jogo. Defendeu bem, atacou bem. Fez um papel hoje muitas vezes de terceiro zagueiro. A gente acabou usando o Everaldo num primeiro momento como ala, depois o Janderson. Jogadores que são do flanco do campo, colocando eles na condição de 1 contra 1. Venceu todos os duelos defensivos, teve chegada no campo ofensivo. Foi muito bem e a tendência é que ele se mantenha.”

Como evitar tantos gols sofridos?

“Temos que manter o nível de concentração. A gente sofreu gols, isso é estatística, não tem como negar. Mas o gol de hoje não tem culpados. Um movimento errado que dá certo não tem culpados. A defesa se portou bem hoje, acabou sustentando bem no 1 a 1. Muitas vezes não serve de explicação, mas temos que persistir.”

Ausência da torcida do Corinthians

“Tem um desiquilíbrio técnico natural pela falta do torcedor. Torcedor incentiva, faz o adversário sofrer aqui dentro. Mas ao mesmo nós temos que dar resposta independente disso. Atrapalha, faz falta nosso torcedor, mas nós temos que dar mais dentro de campo para merecer a presença do torcedor.”

Futebol deve ser interrompido?

“Se houver qualquer tipo de saúde a uma pessoa futebol tem que parar. Futebol é a coisa menos importante das mais importantes. Saúde em primeiro lugar. Futebol fica em segundo plano nesse momento.”

Pedrinho preocupa?

“Até onde estamos acompanhando, foi uma medida cautelar (Pedrinho em observação) porque ele veio da Europa. Foi uma medida imposta ao Corinthians e ao próprio Pedrinho. Até o momento não temos notícias que ele esteja mal. Vamos torcer para que ele continue assim.”

Qual o impacto de uma possível parada no futebol?

“Atrapalha toda a temporada. Não sabemos depois como os jogos se ajeitam. O Corinthians precisa de tempo, precisa trabalhar, precisa se reforçar e evoluir. Não tem como qualificar nesse momento quanto atrapalharia. Mas acho que atrapalharia todo futebol brasileiro.”

LEIA MAIS

Carlos Cereto detona Corinthians de Tiago Nunes: “Já está passando vergonha”

Vagner Love aponta jogadores como principais responsáveis de má fase do Corinthians: “A culpa é nossa”