Novo diretor do Cruzeiro, Drubscky avalia elenco e missão do próximo treinador

Fora da zona de classificação para as semifinais, Raposa é a quinta colocada do Campeonato Mineiro, com 14 pontos em 27 possíveis

Patrick Monteiro
Repórter do Torcedores com passagens por: jornal O Fluminense (Niterói/RJ) e diário Lance. Comentarista e narrador na extinta Rádio Fluminense AM 540, onde apresentou os programas "Futebol Internacional" e "Jornada Esportiva". Ex-colunista do site Chelsea Brasil. Cobriu, in loco, a Copa do Mundo FIFA 2014, incluindo a grande final (Alemanha x Argentina), entre outros eventos, como Rio Open de tênis, Copa Brasil de Vela e Conmebol Libertadores.

Crédito: Divulgação/Igor Sales/Cruzeiro

Antes nas categorias de base, Ricardo Drubscky agora exerce a função de diretor de futebol do Cruzeiro no profissional. Ele assume a vaga que era ocupada por Ocimar Bolicenho, demitido no último domingo (15). A missão, logo neste começo de trabalho, é definir o nome do novo treinador, após Adilson Batista também perder seu cargo na derrota para o Coimbra, pelo Campeonato Mineiro. Em entrevista ao GloboEsporte.com, o terceiro dirigente da Raposa na função em 2020 recordou outras passagens pelo clube e projetou o futuro.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

“É a quarta ou quinta vez que passo por aqui. Já ocupei esse cargo, campeão da Copa do Brasil com o Marco Aurélio (em 2000), fomos quarto lugar na Copa João Havelange com o Felipão. Então, a gente já passou por aqui neste cargo também. E em outros cargos. É uma motivação muito grande. Estava desempenhando meu papel na base muito entusiasticamente. Veio essa oportunidade, me sinto muito tranquilo, capacitado para exercer essa função. Estou fazendo essa transição e vou tentar dar o meu melhor”, disse Drubscky, que já possui uma avaliação do elenco.

“Muitos meninos que estão aqui (no profissional) tiveram um tempo comigo na base, assistindo à Copa São Paulo. Mas a gente tem a fotografia que tem aqui, e também daquilo que pode ser carência ou não. Mas, o treinador vindo é fundamental, porque quem constrói o jogo é ele. Por mais que o Brasil seja um país com as coisas acontecendo acelerado, procuro respeitar muito o treinador, apresentando o elenco, características, e ele, bom conhecedor do mercado como deve ser, quem vier, apresentar opção dentro do que a gente tem. O tempo que temos permite a gente não acelerar e cometer erros”, comentou.

A saída de Enderson Moreira do Ceará, anunciada quase na madrugada desta quarta-feira (18), abriu espaço para a ida do treinador ao Cruzeiro. Ele aparecia como favorito antes mesmo da saída do Vozão, que já anunciou o substituto: Guto Ferreira.

Leia também:

A caminho do Cruzeiro? Enderson Moreira deixa o comando do Ceará

Adílson revela bastidores antes do clássico: “Estavam com medo do Atlético”