Iberê Riveras | Noroeste e mais 6 do interior no G8, Paulista desesperado: confira o Raio-X da Série A3

Terceira divisão do Campeonato Paulista chega a 9 rodadas com o equilíbrio esperado; técnicos e jornalistas destrincham o que faz a ‘diferença’

Iberê Riveras
Colaborador e colunista do Torcedores.com.

A análise da classificação da A3 confirma o que já era esperado: muito equilíbrio entre as equipes. Tirando o Noroeste, líder com 22 pontos, e o Paulista, lanterna com 4, os outros 14 clubes estão separados por apenas sete pontos – 16 a 9 –, a seis partidas da conclusão da 1ª fase – os oito melhores avançarão para o mata-mata. Outra expectativa que se confirma, infelizmente, é a facilidade com que os times trocam de treinador. Dos 13 clubes do interior, oito já mudaram de comando: Comercial, Linense, Batatais, Primavera, Marília, Olímpia, Paulista e Rio Preto (duas vezes).

O grande destaque da competição é o Noroeste, que só lamenta a competição não ser em ‘pontos corridos’. Comandado pelo experiente Luiz Carlos Martins, o Norusca venceu sete de seus nove jogos. “Fazia tempo que eu não disputava essa divisão, o campeonato é duro, difícil. O Noroeste está num momento bom, o grupo está encaixando aquilo que nós estamos querendo. Não temos só um, mas dois, três esquemas táticos, que é utilizado dependendo da circunstância do jogo” relata Martins. Questionado sobre o diferencial do time em relação aos concorrentes, LCM defende uma velha forma de trabalhar. “Em todos os clubes, gosto de trabalhar com o grupo como um todo. Não são apenas 11, temos que ter sempre um elenco pronto para os jogos. Tem dia que eu perco o sono para poder escalar a equipe titular. Só que para isso é preciso um grupo qualificado, unido, que respeita a camisa, a cidade. Importante o atleta que fica no banco entender que tenho que fazer escolhas, isso influencia no ambiente.”


Luiz Carlos Martins é um colecionador de acessos | Foto: Bruno Freitas/EC Noroeste

Outro clube de tradição que tende a chegar forte na fase final é o Comercial de Ribeirão Preto, que somou apenas um dos primeiros nove pontos disputados, sob o comando de Roberval Davino. Fahel Júnior chegou ao clube pressionado, mas conseguiu botar ordem na casa. “Nem tudo estava errado, o Roberval deixou um material bom, uma equipe bem trabalhada. O que a gente trouxe foi um pouco mais de intensidade, de pegada, a postura mudou”, destaca Fahel.

Régis Angeli teve o seu trabalho interrompido de forma abrupta no Rio Preto, mas conhece bem os meandros da A3 – subiu com o Monte Azul no ano passado. “A linha que separa o desempenho das equipes é muito tênue mesmo. Eu destacaria, em primeiro lugar, a qualidade técnica do atleta, a individualidade que pode desequilibrar uma partida. Em seguida vem o entrosamento, um coletivo forte. O bom ambiente no grupo é responsabilidade do treinador, que por sua vez precisa ter o respaldo da diretoria para transmitir essa confiança. Ou seja, uma coisa puxa a outra, são diversos fatores que precisam se casar.”

A bola do Paulistão é feita de PET reciclada. Se liga na S11

Classificação
G8: Noroeste 22, EC São Bernardo 16, Velo Clube 15, Capivariano 14, Comercial 14, Linense 14, Batatais 14, Desportivo Brasil 13

Zona neutra: Barretos 11, Primavera 11, Marília 11, Rio Preto 10, Nacional 10, Olímpia 10
Zona de rebaixamento: Grêmio Osasco 9, Paulista 4

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

A CAMPANHA DOS 13 TIMES DO INTERIOR

1º Noroeste (22 pontos)
Sob o comando de Luiz Carlos Martins, o Norusca disparou com cinco vitórias consecutivas sobre EC São Bernardo (F), Marília (C), Rio Preto (F), Paulista (C) e Batatais (C). Perdeu a invencibilidade para o Linense (F), mas reagiu ao bater o Nacional (C). Tropeçou no Velo Clube (C) e foi buscar três difíceis pontos contra o Desportivo Brasil (F), com gol do estreante Richarlyson, ex-São Paulo.

3º Velo Clube (15 pontos)
Nos cinco primeiros jogos, foram três vitórias: Rio Preto (C), Comercial (F) e Barretos (C), o empate na estreia contra o Olímpia (F) e a derrota para o Desportivo Brasil (C). O sinal amarelo acendeu com os empates diante do Marília (C) e do Noroeste (F) e a derrota para o Capivariano (F). A paz do técnico Cléber Gaúcho foi recuperada com a vitória sobre o Nacional (C).
Léo Bauer, narrador da Rádio Excelsior/Jovem Pan de Rio Claro, comenta sobre a boa campanha do Galo Vermelho. “Titulares mesmo são cinco: o goleiro Filipe Garça, os laterais Everton e Janilson e os meio-campistas Eurico e Niander. De resto, o Cléber vem mudando de rodada a rodada, não dá pra saber se ainda não encontrou o time ou é apenas uma opção dele. O time oscilou, mas jogou bem contra o Nacional e pode chegar forte na fase final.”

4º Capivariano (14 pontos)
Começou a competição com duas derrotas: Primavera (F) e Batatais (C). O técnico Ricardo Costa foi mantido, e valeu a pena. Vieram cinco jogos de invencibilidade, com três vitórias ‘em casa’ sobre Linense, Desportivo Brasil e Velo Clube e dois empates fora, contra Barretos e Olímpia. Foi batido pelo Comercial (F), mas recuperou-se ao bater o Paulista (C). Um detalhe que impressiona: o Leão da Sorocabana tem mandado seus jogos em Santa Bárbara D’Oeste, já que a Arena Capivari está interditada.

5º Comercial (14 pontos)
O começo foi nebuloso, com duas derrotas, para Rio Preto (F) e Velo Clube (C) e dois empates: Grêmio Osasco (C) e Nacional (F). Fahel Júnior entrou no lugar de Roberval Davino e o Bafo reagiu, com quatro vitórias em cinco jogos: em casa contra Paulista, Capivariano e Linense e fora ante o Desportivo Brasil – perdeu para o EC São Bernardo (F). O time vem de três vitórias consecutivas.


Fahel Júnior conseguiu mudar o clima do Leão do Norte| Foto: Rafinha Alves/Comercial FC

6º Linense (14 pontos)
O Elefante da Noroeste passa pelo seu pior momento na competição. Nos sete primeiros jogos, vitórias sobre Marília (F), Batatais (F), Grêmio Osasco (C) e o bicho-papão Noroeste (C), empates ante EC São Bernardo (C) e Nacional (F) e derrota para o Capivariano (F). Após a 6ª rodada, o técnico João Vallim deixou o clube para comandar o Taubaté na A2. Márcio Ribeiro o substituiu, mas parece que o grupo acusou o golpe. Perdeu os últimos dois jogos, para Desportivo Brasil (C) e Comercial (F).

7º Batatais (14 pontos)
Sob o comando de Edson ‘Abobrão’ Boaro, nada de derrota nas primeiras quatro rodadas: vitórias sobre Desportivo Brasil (C) e Capivariano (F), além de empates contra Grêmio Osasco (F) e Marília (C). De forma abrupta, Edson saiu e Nívio entrou em seu lugar. A derrota para o Noroeste (F) foi compensada pela vitória sobre o Primavera (F). Em seguida, as derrotas para Linense (C) e Barretos (F) foram atenuadas pela vitória sobre o Olímpia (C).

8º Desportivo Brasil (13 pontos)
Ao lado do Barretos, o Dragão Chinês é um dos clubes mais irregulares da competição. Foi derrotado na estreia pelo Batatais (F), recuperou-se batendo Primavera (C) e Velo Clube (F) e empatou com o Nacional (C). Depois disso, perdeu, ganhou, perdeu, ganhou e perdeu, para Capivariano (F), Grêmio Osasco (C), Comercial (C), Linense (F) e Noroeste (C), respectivamente. Élio Sizenando segue à frente do DB.

9º Barretos (11 pontos)
Não é pra menos que Fortaleza é o apelido do estádio do Barretos. Ali, o Touro do Vale ainda não perdeu, com três vitórias (Paulista, Nacional e Batatais) e um empate (Capivariano). Já fora de casa, tem sido um ‘Deus nos acuda’. Empatou com o Grêmio Osasco e perdeu para Olímpia, Velo Clube, Rio Preto e Primavera. Menos mal que a fase decisiva é no sistema mata mata. O maior desafio do técnico Ricardo Moraes é melhorar o desempenho do time fora de seus domínios.

10º Primavera (11 pontos)
A vitória na estreia, contra o Capivariano (C), foi uma doce ilusão. Nos cinco jogos seguintes, apenas um ponto, contra o Marília (F). Derrotas para Desportivo Brasil (F), Rio Preto (C), Grêmio Osasco (F) e Batatais (C). Após a 4ª rodada, Paulo Pereira assumiu o lugar de Daniel Sabino. O Fantasma vem reagindo, com vitórias em casa ante EC São Bernardo e Barretos e empate fora diante do Olímpia.

11º Marília (11 pontos)
Um dos caçulas da competição, o MAC começou assustando o seu torcedor: derrotas para os rivais Linense (C) e Noroeste (F) e empates contra Primavera (C) e Batatais (F). Após três rodadas, o ex-goleiro Júlio Sérgio deu lugar ao ex-centroavante Guilherme Alves, revelado pelo próprio clube nos anos 90. As derrotas cessaram e, nos últimos cinco jogos, foram duas vitórias: EC São Bernardo (C) e Paulista (F), além de três empates, contra Velo Clube (F), Olímpia (C) e Rio Preto (C). Se não entrou no G8, pelo menos saiu da zona de rebaixamento.
Thiago Giroldo, da Rádio Clube AM de Marília, dá o seu pitaco sobre a campanha do Tigre. “O Guilherme conseguiu cessar as derrotas sem trocar peças, apenas mudando o posicionamento da equipe. O maior problema continua sendo o poder de finalização,  muitas situações de gol são criadas, porém a falta de um homem de referência vem atrapalhando. O Rafael Amoroso está se recuperando de lesão, o Wanderlan Louback chegou um pouco abaixo fisicamente. Nos bastidores, a estrutura que a diretoria está oferecendo é interessante, os salários estão em dia. Só falta mesmo os gols acontecerem.”

12º Rio Preto (10 pontos)
Sob o comando de Régis Angeli, o Jacaré não empatou. Ganhou de Comercial (C) e Primavera (F) e perdeu para Velo Clube (F), Noroeste (C) e Olímpia (C). João Santos chegou, mas só ficou três jogos: vitória em casa contra o Barretos (C) e derrotas fora para Paulista e EC São Bernardo. Ivan Canela, de forma interina, comandou o time no empate contra o Marília (F). Na próxima rodada, Carlos Rossi fará sua estreia: o quarto técnico em dez jogos!

14º Olímpia (10 pontos)
O Galo Azul não perde em casa, mas também quase não ganha. Em quatro jogos, bateu o Barretos, mas não superou Velo Clube, Capivariano e Primavera. Fora de casa, vitória contra o Rio Preto, empate diante do Marília e derrotas para Nacional, EC São Bernardo e Batatais. O técnico Alexandre Ferreira comandou o time por oito jogos e meio – foi demitido no intervalo da partida contra o Primavera. A equipe olimpiana, agora comandada por Leandro Chibior, não vence há quatro partidas.

16º Paulista (4 pontos)
Campeão da 4ª divisão do ano passado, o Galo da Japi acreditava estar renascendo, mas a realidade tem se mostrado implacável. Estreou empatando com o Nacional (C), mas a sequência de quatro derrotas para Barretos, EC São Bernardo, Noroeste e Comercial provocou uma convulsão. O técnico Edson Fio foi demitido e até a parceria com a Kah Sports, empresa gestora do departamento de futebol, foi rompida. Oliveira assumiu o comando da equipe, que venceu o Rio Preto (C), mas tomou mais três pancadas, para Grêmio Osasco, Marília e Capivariano. A seis rodadas do final da 1ª fase e a seis pontos do 14º colocado, só um milagre salva o Galo da Japi do rebaixamento: SOS Paulista!
Thiago Batista, do Jornal de Jundiaí, registra a sua revolta. “A relação do clube com a Kah Sports sempre foi confusa. A uma semana do início do campeonato chegou a ser anunciada a ruptura e, horas depois, a ‘paz’. A montagem do elenco também foi polêmica, o treinador Edson Fio chegou a dizer a uma rádio que trabalharia somente com jogadores de até 27 anos, o que repercutiu mal na torcida e na imprensa. Uma confusão atrás de outra. O Paulista seguiu direitinho a receita e ocupa merecidamente a última colocação.”

CAMPEONATO PAULISTA A3 – Clique aqui para ver a tabela detalhada
Dos 16 participantes, 13 são do interior: Batatais, Barretos, Capivariano, Comercial, Desportivo Brasil, Linense, Marília, Noroeste, Olímpia, Paulista, Primavera, Rio Preto e Velo Clube. Nacional (capital), EC São Bernardo e Grêmio Osasco (Grande São Paulo) completam a lista.

COPA DO BRASIL
Ufa, acabaram os jogos únicos. Daqui para a frente, as disputas serão sempre em jogos de ida e volta, o modelo clássico que consagrou a competição.
A 3ª fase em caso de empate no placar agregado, a vaga será definida na disputa por pênaltis  contará com 20 clubes, que se tornarão dez na 4ª e cinco na 5ª.
Os cinco heróicos sobreviventes, que terão derrubado 75 concorrentes, se juntarão a Palmeiras, Flamengo, Grêmio, Santos, Athletico-PR, Corinthians, Internacional, São Paulo, Fortaleza Cuiabá e Red Bull Bragantino para a disputa das oitavas de final.
A Ponte Preta irá enfrentar o surpreendente Afogados da Ingazeira, que eliminou o Atlético-MG. A primeira partida será em Campinas e o jogo de volta no interior pernambucano.
Já a Ferroviária terá pela frente o América-MG. O jogo de ida será na Fonte Luminosa, em Araraquara, e a partida decisiva no Independência, casa do Coelho.

CAMPEONATO BRASILEIRO – Confira os primeiros jogos dos clubes do interior paulista nas quatro séries:

SÉRIE A
Red Bull Bragantino: Santos (F), Botafogo (C), Bahia (F), Fluminense (C), Coritiba (C)

SÉRIE B
Guarani: CSA (F), Cruzeiro (C), Botafogo-SP (F), Paraná (C), Chapecoense (F)
Ponte Preta: América-MG (C), Brasil-RS (F), Vitória (C), Oeste (F), CSA (C)
Botafogo-SP: Cruzeiro (F), Confiança-SE (C), Guarani (C), Avaí (F), Figueirense (C)

SÉRIE C
São Bento: São José-RS (F), Brusque-SC (C), Criciúma-SC (F), Ypiranga-RS (C), Londrina-PR (F)
Ituano: Tombense-MG (C), Volta Redonda-RJ (F), Londrina-PR (C), Brusque-SC (F), São José-RS (C)

SÉRIE D
Novorizontino: Joinville-SC (F), Pelotas-RS (C), Tubarão-SC (C), Marcílio Dias-SC (F), São Caetano-SP (F)
Mirassol: Bangu-RJ (C), Cabofriense-RJ (F), Toledo-PR (C), Cascavel-PR (F), Ferroviária (C)
Ferroviária: Nacional-PR (F), Portuguesa-RJ (C), Cascavel-PR (C), Toledo-PR (F), Mirassol (F)

CAMPEONATO PAULISTA A1 – Clique aqui para ver a tabela detalhada
Dos 16 participantes, nove são do interior: Botafogo, Ferroviária, Guarani, Inter de Limeira, Ituano, Mirassol, Novorizontino, Ponte Preta e Red Bull Bragantino. Corinthians, Palmeiras, São Paulo (capital), Santos (litoral), Santo André e Oeste (Grande São Paulo) completam a lista.

CAMPEONATO PAULISTA A2 – Clique aqui para ver a tabela detalhada
Dos 16 participantes, dez são do interior: XV de Piracicaba, Taubaté, Atibaia, Monte Azul, Penapolense, Red Bull Brasil, Sertãozinho, São Bento, Rio Claro e Votuporanguense. Portuguesa e Juventus (capital), Portuguesa Santista (litoral), São Bernardo FC, São Caetano e Osasco Audax completam a lista.

CAMPEONATO PAULISTA DA 4ª DIVISÃO – Clique aqui para ver a tabela com os 42 clubes participantes e aqui para acessar o regulamento da competição.

E-mails com sugestões, correções ou críticas devem ser enviados para ibere.riveras@gmail.com

LEIA MAIS:

Acirradíssima, A2 começa na quarta-feira (22): o pecado é que dura pouco
A delicada saída de Antônio Carlos Zago do Red Bull Bragantino
Helvídio Mattos: “Aquele futebol do interior foi para uma gaveta, mas não somos obrigados a conviver com esse”
Legal, mas imoral – um clube não pode abandonar a sua cidade

Clique aqui para acessar TODAS as colunas do Futebol do Interior