Tsitsipas se arrisca no português e afirma: “Flamengo é o melhor time do Brasil”

Atleta de 21 anos citou clube brasileiro durante desafio proposto aos fãs no Twitter

Felipe Gomes da Costa
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução/Twitter Stefanos Tsitsipas

O grego Stefanos Tsitsipas, atual número 6 do ranking da ATP, surpreendeu fãs brasileiros após vídeo divulgado no Twitter neste domingo (05). Em desafio proposto na rede social, o tenista se arriscou na língua portuguesa e citou o Flamengo como o “melhor time do Brasil”.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Siga AO VIVO as últimas notícias do coronavírus no esporte

Desafio de Tsitsipas

No desafio sugerido, Tsitsipas se colocou à disposição para ler mensagens em qualquer idioma.

“Me envie um texto aleatório em sua língua e eu farei uma leitura de vídeo nesse idioma”, escreveu.

Para a surpresa dos fãs brasileiros, o grego destacou que “ama o português”, e, na sequência, falou sobre a equipe comandada por Jorge Jesus.

“O Flamengo é o maior e melhor time de futebol do Brasil”, afirmou.

Efeitos da pandemia de coronavírus

Considerado um dos tenistas mais ativos das redes sociais, Tsitsipas tem mantido a tendência durante a pandemia de coronavírus. Em meio à crise, o tenista tem utilizado a ferramenta na tentativa de minimizar os impactos da quarentena.

Em entrevista à ITF (sigla em inglês para Federação Internacional de Tênis) na última semana, o tenista revelou estar ansioso diante do difícil momento, e afirmou ter saudade “de competir e de jogar”.

Por conta do avanço da Covid-19, os circuitos ATP e WTA estão suspensos até o dia 13 de julho. Com a medida, o torneio de Wimbledon, o mais tradicional do tênis, foi cancelado.

Leia mais: Nadal disputa partida improvisada contra irmã durante quarentena na Espanha

ATP e WTA ampliam suspensão do circuito profissional até julho e cancelam temporada de grama

Sharapova deixa seu número de telefone para falar com as pessoas, durante a quarentena do coronavírus