Relembre 7 artilheiros da Copa São Paulo que não vingaram no profissional

Artilheiros das últimas edições encontraram dificuldades para se firmar no profissional

Matheus Expedito
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero. 22 anos. Amante do esporte bem jogado e admirador de boas histórias.

Crédito: Divulgação / Agência Corinthians/Rodrigo Gazzanel

A Copa São Paulo de Futebol Júnior sempre revelou grandes jogadores ao cenário nacional, dando oportunidades até para aqueles que atuam em equipes menores. Mas é curioso perceber que os últimos artilheiros da competição estão tendo muitas dificuldades para vingar no profissional. Pensando nisso, o Torcedores lembrou de alguns desses nomes; confira.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Carlinhos – Corinthians (2017)

Artilheiro e campeão do torneio, o centroavante Carlinhos não rendeu nem perto do que era esperado no profissional. Com algumas semelhanças físicas com o experiente Jô, a torcida alvinegra criou uma grande expectativa em torno do jovem. Jogou apenas uma partida pelo Corinthians, durante dez minutos, e passou a ser emprestado desde então. Atualmente está cedido ao Marcílio Dias, da primeira divisão catarinense.

Brenner e Richard – Internacional (2018)

O centroavante Brenner foi o principal nome colorado em campanha que chegou até as semifinais da Copa São Paulo. Subiu ao profissional de imediato e não conseguiu empolgar o técnico Odair Hellmann. Depois de 12 partidas e nenhum gol marcado, retornou às categorias de base. Atualmente está emprestado ao Iwate Grulla Morioka, da terceira divisão do Japão.

A situação é bem semelhante ao companheiro de equipe, Richard Alexandre, que teve apenas uma oportunidade entre os profissionais do Internacional. Ele está emprestado ao Tondela, da elite do futebol português, e tem sido titular na equipe.

Diego Cardoso e Stéfano Yuri – Santos (2014)

A dupla de atacantes santistas impressionou na edição de 2014. O Santos foi campeão incontestável ao derrotar o Corinthians na grande decisão. Eles tinham um excelente entrosamento e marcaram nove gols cada um – o outro artilheiro foi Gustagol, que na época vestia a camisa do Taboão da Serra. Ambos não aproveitaram as oportunidades entre os profissionais e peregrinam em clubes de menor expressão.

Dellatorre – Desportivo Brasil (2011)

Considerado uma das maiores promessas do Desportivo Brasil, o atacante faz aniversário nesta sexta-feira (01). Ele se mostrou ao cenário nacional após o excelente desempenho na edição de 2011, quando marcou sete gols. Teve passagens pela base de Internacional e Porto, mas se profissionalizou no Athletico. Atuou no futebol inglês, tailandês e cipriota. No início desse ano retornou ao país para atuar no Mirassol, que disputa o Campeonato Paulista.

Lucas Gaúcho – São Paulo (2010)

Titular na mesma geração de Casemiro, Lucas e Willian Arão, o centroavante terminou a Copa São Paulo com nove gols marcados. Esse bom desempenho o levou ao profissional no final daquele mesmo ano, ao lado de outros companheiros da base. O início foi promissor, marcando gols de letra em partidas distintas, diante de Vasco e Fluminense. Mesmo assim, não conseguiu se firmar e rodou por vários países. Atualmente está no Kwait.

LEIA MAIS: