Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Você lembra? Em 2009, Brasil quase tropeçou para o Egito na Copa das Confederações

Seleção Brasileira, treinada por Dunga, venceu o Egito por 4 a 3

Gabriel Girardon
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução/FIFA

O ano era 2009. A Seleção Brasileira era atual campeã da Copa América. Por isso, disputaria a Copa das Confederações, em preparação para o Mundial da África do Sul no ano seguinte. O primeiro jogo contra o Egito, parecia ser a estreia perfeita com os três pontos. Até foi com vitória, mas com sofrimento.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

O Egito participara da competição como campeão da Copa Africana de Nações do ano anterior. Hoje craque da seleção e do Liverpool, Mohamed Salah não fazia parte daquele time, por exemplo – ainda tinha apenas 17 anos e ainda jogava no seu país. O craque era outro Mohamed: Zidan, então jogador do Borussia Dortmund.

Mercado em CASA

Clique aqui para ter 50% off!

A Seleção Brasileira começou na frente. Logo aos cinco minutos, Kaká abriu o placar em boa jogada dentro da área egípcia. Porém, o empate do Egito veio logo em seguida, em cruzamento da direita e cabeçada de Mohamed Zidan.

Só que, dois minutos mais tarde, Luís Fabiano completou de cabeça cobrança de falta de Elano. Ainda no primeiro tempo, viria o terceiro gol. Novamente saindo dos pés de Elano, desta vez de escanteio, Juan cabeceou forte para o gol.

O que se encaminhava para uma vitória tranquila ou até goleada ganhou ares de drama. Isso porque, no espaço de um minuto, o Egito marcou duas vezes e empatou o jogo. Primeiro com Shawky, recebendo na entrada da área e batendo forte de direita. Na sequência, Zidan foi acionado dentro da área e fuzilou de canhota.

Já passava dos 43 minutos do segundo tempo quando veio o lance salvador. Após cobrança de falta, Lúcio pegou de primeira e o defensor do Egito salvou com o braço o que seria o gol brasileiro. Após demora na marcação no primeiro momento, o árbitro confirmou a penalidade. Na batida, Kaká converteu, selando o suado triunfo do Brasil.

A Seleção comandada por Dunga foi campeã da Copa das Confederações ao bater os Estados Unidos na final por 3 a 2.

LEIA TAMBÉM
Craque dentro e fora de campo: como Salah se tornou o principal ídolo do futebol do Egito