Mais idolatrado no Corinthians, Danilo explica ida para o Corinthians: “São Paulo já tinha três meias”

Em entrevista ao canal Arnaldo e Tironi no Youtube, Danilo explicou por que não voltou ao São Paulo e optou pelo rival Corinthians ao voltar para o Brasil

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores

Crédito: Youtube/Reprodução

Danilo é um caso raríssimo de jogador que foi ídolo de dois rivais. O meia é respeitado pelas torcidas de São Paulo e Corinthians – sendo, inclusive, campeão mundial nas duas agremiações. Em entrevista exclusiva ao canal Arnaldo e Tironi, mantido pelos jornalistas Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi no Youtube, ele fez comparações sobre as duas equipes.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes
https://www.facebook.com/TorcedoresOficial

Perguntado sobre em qual clube se vê como ídolo com maior intensidade, Danilo optou pelo tempo em que ficou em cada clube. “É difícil falar, tenho história nos dois clubes e fui campeão em ambos. Mas fiquei três anos no São Paulo e nove no Corinthians. Acho que pode ser no Corinthians por conta disso”, declarou.

Retorno

Quando Danilo assinou com o Corinthians, muitos se surpreenderam. Outros tantos ficaram decepcionados e irritados. O atleta, porém, declarou que a primeira opção era a volta para o Tricolor. “Eu estava no Japão há três anos e achava que era o momento de voltar para o Brasil. Minha primeira opção sempre foi o São Paulo, onde tenho uma história muito bonita. Nesse meio tempo, surgiu o Corinthians. O SPFC optou por outros três meias, e eu acabei indo para o rival. Escolhi o time certo no momento certo. Fui campeão de tudo”

Em seguida, Arnaldo Ribeiro mata a charada. Na ocasião, o São Paulo tinha dois meias: Hugo e Jorge Wagner. O terceiro, citado por Danilo, estava sendo contratado. Tratava-se de Carlos Alberto.

LEIA MAIS
Rogério Ceni surpreende: “Fiz o mesmo trabalho no Fortaleza e no São Paulo”
Bruno Alves celebra boa fase no São Paulo: “Melhor ano da carreira”
No Twitter, São Paulo comemora 25 anos do bicampeonato Mundial de Clubes