Ex-Corinthians lembra que o Palmeiras tentou contratá-lo: “O dinheiro era maior, mas jogar no clube de coração não tem preço”

Chicão explicou porque as conversas com o Palmeiras não avançaram na primeira, em 2008, e nem na segunda tentativa anos depois

Danielle Barbosa
Colaborador do Torcedores

Crédito: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O ex-zagueiro Chicão se tornou um principais ídolos do Corinthians no século, ao participar como peça importante de conquistas históricas, como os títulos da Libertadores e do Mundial de Clubes, em 2012. Além disso, ele também conquistou o Campeonato Brasileiro, a Série B, Copa do Brasil e Campeonato Paulista pelo clube do Parque São Jorge. Mas o currículo vitorioso de Chicão poderia ser diferente se ele tivesse ido para o rival Palmeiras, que chegou a tentar contratá-lo em duas oportunidades.

Cartão de crédito sem anuidade? Abra sua conta Meu BMG agora!

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

Durante participação em uma live no canal do jornalista Jorge Nicola, Chicão relembrou quando o Palmeiras, então sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, tentou ‘atravessar’ a negociação com o Corinthians para contratá-lo em 2008 e contou porque não foi jogar no Alviverde. “Eu falei que já tinha dado a minha palavra (ao Corinthians). O dinheiro poderia ser maior, mas não ia voltar atrás. Até porque eu estava correndo atrás de realizar meu sonho que é jogar no meu clube de coração”.

“(A negociação) Foi direto com o clube. O próprio Vanderlei (Luxemburgo) já falou isso, que ele em 2008 tentou atravessar a negociação. Faz parte. Mas eu já tinha dado a palavra com o Antônio. O dinheiro poderia ser maior, o clube tava na série A… Mas eu dei minha palavra, não ia voltar. E também jogar no clube de coração não tinha preço“, explicou o ex-zagueiro. “Não tem preço de você jogar no time do seu pai, da sua família. E seu pai sentir orgulho de você”, acrescentou.

Chicão também revelou uma segunda investida do Palmeiras, mas isso já em 2014, quando ele estava saindo do Flamengo. “Eu tenho um respeito muito grande pela instituição Palmeiras. Mas daí eu ia ter que conquistar tudo novamente. E eu já tinha conquistado 33 milhões de torcedores, o carinho, o respeito, a admiração”.

O ex-jogador ainda deixou claro que não quis nem saber valores da negociação. “De forma nenhuma (fiquei balançado). Quando houve a consulta eu já disse que não e nem quis saber sobre valores”, completou.

LEIA MAIS:
Você lembra? Cássio foi eleito o melhor jogador do Mundial de Clubes de 2012
Roberto de Andrade ‘ataca’ Bandeira de Mello e relembra saída de Guerrero: “Ele jogou no Flamengo?”