Só craque! 7 finalistas que não ganharam o prêmio de melhor do mundo pela FIFA

Além de Xavi e Iniesta, outros nomes que fizeram história no futebol estiveram bem perto de vencer o prêmio

Daniel Gois
Estudante de jornalismo da Universidade Católica de Santos. No Torcedores desde janeiro de 2017, escreve sobre futebol, basquete, formula 1 e eventualmente games.

Crédito: David Ramos/Getty Images

Desde 1991, a FIFA elege um jogador como o melhor do futebol naquela temporada, em premiação que conta sempre com três finalistas. Entre 2010 e 2015, o prêmio foi unificado com a Bola de Ouro, da revista France Football. Grandes nomes do futebol mundial já estiveram bem perto do topo. Confira oito atletas.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

Xavi Hernández

Maestro do Barcelona e da seleção espanhola, Xavi foi finalista do prêmio da FIFA por três anos consecutivos, entre 2009 e 2011. Em todos, ele ficou na terceira posição, atrás de Cristiano Ronaldo (2009 e 2011), Iniesta (2010) e Lionel Messi, vencedor nas três edições. Pelo Barcelona, Xavi tem 767 jogos disputados nos 17 anos que defendeu a equipe profissional.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

Andrés Iniesta

Foi vice-campeão na eleição de 2010, ano em que Iniesta marcou o gol do primeiro título mundial da Espanha. O craque do Barcelona também foi finalista em 2012, mas dessa vez ficou em terceiro, perdendo para Cristiano Ronaldo e, novamente, Lionel Messi. Com a equipe profissional do Barça, Iniesta participou de 674 jogos durante 16 temporadas.

Thierry Henry

Carrasco da seleção brasileira, o atacante francês foi duas vezes finalista do prêmio da FIFA. Nos anos de 2003 e 2004, Henry brilhava com a camisa do Arsenal, mas foi vice nas duas eleições, perdendo para o compatriota Zidane e o brasileiro Ronaldinho Gaúcho, respectivamente. Além do Arsenal, Henry também atuou por Barcelona, Juventus, Monaco, e New York Red Bulls.

Frank Lampard

Ídolo do Chelsea, Lampard foi finalista em 2005, quando concorreu ao prêmio da FIFA com Samuel Eto’o e Ronaldinho Gaúcho, ambos do Barcelona. Ele terminou a frente do camaronês, mas atrás do brasileiro, que naquele ano era eleito melhor do mundo pela segunda vez. Com a camisa dos Blues, Lampard disputou 648 partidas e marcou 211 gols.

David Beckham

O craque inglês também bateu na trave duas vezes. Em 1999, Beckham ficou em segundo lugar, perdendo para o brasileiro Rivaldo. Já em 2001, o ídolo do Manchester United ficou atrás do português Luis Figo. Além dos Diabos Vermelhos, Beckham também passou por Real Madrid, Milan, Preston North End, Los Angeles Galaxy e Paris Saint-Germain.

Dennis Bergkamp

Por duas vezes, o ídolo holandês ficou na terceira posição. Em 1993, Bergkamp ficou atrás de Romário e do vencedor Roberto Baggio. Já em 1997, dividiu o terceiro lugar com Zinedine Zidane, ficando atrás dos brasileiros Roberto Carlos e Ronaldo (vencedor). O meia brilhou com as camisas de Ajax e Arsenal, mas terminou a carreira sem conquistar uma Champions League.

Oliver Kahn

Único goleiro na lista, Kahn ficou em segundo lugar na eleição de 2002, perdendo para o brasileiro Ronaldo. No mesmo ano, ambos se enfrentaram na decisão da Copa do Mundo, onde o Fenômeno brilhou com dois gols. Oliver Kahn é ídolo do Bayern de Munique, onde disputou 630 partidas em 14 anos.

LEIA MAIS SOBRE FUTEBOL

Emprestado pelo Flamengo, Pablo Marí sofre grave lesão e perderá o resto da temporada

Quem é Ansu Fati, jovem de 17 anos que vem brilhando pelo Barcelona?

Bayern faz história e chega a 30 títulos na Bundesliga; veja lista dos maiores campeões