Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Galvão Bueno publica mensagem em combate ao racismo e espera “algo positivo” de manifestações

Apresentador e narrador da Globo disse que casos recentes de mortes de negros no Brasil e nos Estados Unidos é o que mais “dói e incomoda”

Rafael Brayan
Estudante de jornalismo. Colaborador especialista e editor-plantonista do Torcedores.Twitter: @rafaelbrayan_

Crédito: Reprodução/SporTV

Após os casos recentes de mortes de negros no Brasil e nos Estados Unidos, diversos manifestantes foram às ruas a favor da democracia. Enquanto isso, diversas personalidades apareceram nas redes sociais para apoiar o combate ao racismo. Um deles foi o narrador Galvão Bueno, que, nesta terça-feira (2), divulgou uma longa mensagem em combate ao racismo.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

“O que mais me dói e incomoda, é imaginar que em 2020, no vigésimo ano do novo século, nós estivéssemos aqui discutindo essas questões de racismo. Eles ainda persistem, eles ainda existem nos EUA e no Brasil, principalmente nesses dois países que têm um saldo devedor muito grande”, disse Galvão Bueno através do seu Twitter.

O narrador também lembrou a história dos dois países e ressaltou que espera sucesso de protestos. “Isso por causa de suas épocas de escravidão. Foram dois dos países onde a escravidão foi mais dura, mais terrível e com acontecimentos mais dolorosos. Então, que esse movimento, que já está durando uma semana, possa levar a alguma coisa positiva”, continuou o apresentador da Globo.

“É um movimento que independe de raça, depende de cor. Ele é um movimento que tem de existir. O racismo não pode existir. As pessoas têm de ser iguais, perante a justiça, perante Deus, perante a sociedade, independente de raça, credo, cor ou qualquer coisa”, completou Galvão Bueno.

LEIA MAIS:

“Organizadas têm o poder de revolucionar, formam um tsunami social”, diz líder de torcidas do Brasil

Edmilson critica medidas de isolamento social no Brasil e afirma: “Bolsonaro me convence 100%”