Gotze sem clube e superexposição: como as redes sociais podem impulsionar ou acabar com carreiras de atletas

Alemão não vai renovar com o Borussia Dortmund e vídeos em redes sociais foi um dos motivadores

Matheus Camargo
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução/Instagram

O meia Mario Gotze ficará sem clube após o encerramento da atual temporada do futebol alemão. O Borussia Dortmund não renovará com o jogador, que disputou apenas cinco jogos em 2020.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes
https://www.facebook.com/TorcedoresOficial

Segundo a imprensa alemã, o desempenho abaixo do esperado foi fundamental para que o clube não queira mais o atleta no elenco, mas um fator foi determinante para a decisão ser tomada: o comportamento de Gotze nas redes sociais.

O jogador tem aparecido constantemente ao lado de sua namorada, a influenciadora Ann-Kathrin Brömmel, e recentemente publicou um vídeo em que aparece com um vestido com estampa de leopardo.

Gotze tem sido muito criticado pelos torcedores, já que não consegue se curar dos problemas físicos que tem sofrido desde os tempos de Bayern de Munique. O jogador não consegue sequência em campo desde que assinou com o Borussia pela segunda vez, em 2016.

Como as redes sociais podem influenciar uma carreira?

Rodrigo Luczensky, representante da Brasfoot Assessoria, que trabalha com gestão de carreira de atletas, explicou que a empresa trabalha o tema como os assessorados.

“Acreditamos que as redes sociais tenham um papel importante na carreira dos atletas, especialmente nos tempos atuais”, disse.

“Há uma superexposição, realmente, principalmente para esses atletas de altíssimo nível. Eles servem de exemplo para milhões no mundo inteiro que estão buscando um lugar ao gol. Entendemos que esses atletas que se expõe dessa maneira, dependendo do que façam, pode, sim, atrapalhar. Eles são espelho e podem influenciar de forma negativa também. É importante motivar, demonstrar o que fizeram para atingir o ápice.”

Não há uma espécie de cartilha pronta de acompanhamento, mas as redes sociais se tornaram assunto recorrente entre atletas profissionais e preocupação para quem gere suas carreira.

“Acompanhamos os atletas que são gerenciados e sempre falamos com eles a respeito. Orientamos porque hoje em dia os clubes estão atentos a tudo o que acontece”, apontou.

“Qualquer coisa que o atleta faça nas redes sociais pode acabar precocemente com uma carreira devido a uma exposição negativa. A informação está disponível e chega ao outro lado do mundo em segundos, é importante manter o bom exemplo, algo condizente com a profissão que escolheram. Sempre mantemos os jogadores assessorados.”

O alemão está longe de ser o único a se superexpor nas redes sociais, mas foi o primeiro a receber resposta de um grande clube. Vários atletas já foram criticados por aparecerem de maneira constante em redes sociais enquanto se recuperam de lesões ou quando o clube vive momentos de crise.

Outros atletas, porém, são encarados como exemplos e mesmo com alto número de seguidores pouco prejudicam suas imagens nas redes sociais. Os dois principais exemplos são Lionel Messi, do Barcelona, e Marcelo, do Real Madrid.

Gotze está livre para assinar contrato de graça com qualquer clube a partir da próxima temporada.

Leia mais:
8 jogadores que disputaram Copa do Mundo pelo Brasil e encerraram a carreira em baixa