Taynah Espinoza: “Não sei se tenho estomago para ser comentarista”

Taynah Espinoza deu entrevista ao canal Vamo Pro Jogo no Youtube

Carlos Lemes Jr
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação/Facebook Profissional

Talvez, o sonho de 99% dos repórteres esportivos seja, algum dia, subir para a cabine e se tornar comentarista. Mas, a repórter Taynah Espinoza pensa um pouco diferente.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

“Eu gosto de tática e uma das coisas que eu mais gostava como repórter de dia a dia de clube era ir para o treino e ver as coisas como aconteciam, depois no jogo”, contou a repórter e apresentadora do Esporte Interativo ao canal Vamo Pro Jogo no Youtube.  A gaúcha é sobrinha do técnico Valdir Espinoza, falecido no último mês de fevereiro.

Apesar de gostar desse lado do futebol, Taynah refuta um pouco a ideia de ser comentarista, por conta do machismo, principalmente, nas redes sociais.

“Não sei se tenho essa vontade (de ser comentarista). Tenho me perguntando sobre várias coisas e uma delas é se eu tenho esse desejo, diante de comentários tão machistas em relação ao meu trabalho”, continua a repórter.

Sobre esse assunto, Taynah faz um paralelo com a situação de uma colega.

“Veja a Ana Thais (Matos, comentarista do Grupo Globo), ela sofre muito com comentários machistas. Coisas muito baixas. Confesso que eu não sei, se eu tenho estomago para um dia comentar” comentou a sincera Taynah.

Taynah Espinoza começou a carreira como estagiária no departamento de comunicação do Grêmio, depois passou pela Band (em Porto Alegre e São Paulo), até chegar ao Esporte Interativo e cobrir quatro finais de Liga dos Campeões in loco.

LEIA MAIS

Escolhido para narrar final do Carioca no SBT, Téo José se diz feliz pelo “empréstimo”: “É um jogo muito importante”