Esportes Olímpicos Brasileira do tênis de mesa paralímpico analisa adversárias para um possível ouro em Tóquio

Brasileira do tênis de mesa paralímpico analisa adversárias para um possível ouro em Tóquio

Brasileira Catia Oliveira é vice-campeã mundial da modalidade na Eslovênia

Carlos Lemes Jr
Olá! Sou Carlos Lemes Jr e sou Jornalista formado, desde 2012, e no Torcedores, desde 2015. Matérias exclusivas pelo site publicadas nos portais IG, MSN e UOL. Escrevo sobre: futebol, mídia esportiva, tênis e basquete. Acredito que o esporte seja uma ótima ferramenta de inclusão, pois, sou cadeirante. Então, creio que uma das minhas "missões" aqui no Torcedores seja cobrir esporte paralímpico. Hobbies: ler, escrever e escutar música.

Crédito: Douglas Magno/Exemplus/CPB

Os tempos de pandemia estão fazendo dos atletas mais estudiosos. É o caso de Cátia Oliveira uma das esperanças de medalha para o Brasil nas Paralímpiadas de Tóquio, ano que vem. A paulista de Bauru é a atual vice-campeã mundial da classe 2 (para atletas cadeirantes) e medalha de bronze nos últimos Jogos Pan-Americanos de Lima em 2019.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

Conheça o Bet4Plus e experimente fazer uma aposta grátis, sem necessidade de depósito

“Continuo treinando em casa, no meu CT, na garagem de casa. Tenho todo o planejamento, feito pelo meu técnico. Na segunda, quarta e sexta conto com meu personal, online. Nesse período, ganhei em algumas coisas e perdi em outras. A bola que eu jogo para cima, não consigo fazer, pois o teto da garagem é baixo. Mas, agora, estou fazendo muita análise dos vídeos, e sei direitinho como enfrentar cada adversária. Isso me dá uma confiança maior para enfrentá-las”, conta a brasileira.

Cátia não pode voltar a treinar no clube por ser considerada do grupo de risco para o novo coronavírus. A paratleta sofreu uma lesão medular, após um grave acidente de carro. Ela já vem chamando a atenção da Federação Internacional de tênis de mesa e é apontada como uma das grandes apostas para o futuro.

“Fiquei muito feliz, pois é o órgão maior do tênis de mesa. Com certeza, eles estão de olho em mim. Tive uma evolução muito grande depois da última Paralimpíada, com resultados maravilhosos. E consegui ganhar de todas as minhas principais adversárias, principalmente a Liu Jing, tricampeã paralímpica, que eu venci no último confronto, por 3 a 0”, ressalta, concordando com uma das características descritas pela reportagem: “Sou uma atleta muito corajosa, não quero perder nenhuma bola, completa.

LEIA MAIS

CPB mantém parceria com cidade japonesa para aclimatação visando Jogos Paralímpicos

LEIA MAIS