Hamilton vence GP da Toscana, corrida marcada por muitos acidentes e relargadas

A última vez que uma corrida teve duas bandeiras vermelhas foi em 2016, e a prova também foi vencida por Hamilton

Eduardo Statuti
Estudante de jornalismo na Universidade Federal de São João del-Rei. No Torcedores desde 2019.

Crédito: Reprodução Twitter Fórmula 1

Hamilton venceu neste domingo, 13, o primeiro GP de Toscana da Fórmula 1. A prova, foi uma loucura atrás da outra, com muitos acidentes, três relargadas e oito abandonos. O piloto britânico se alternou na liderança da corrida com seu companheiro de equipe, mas na parte final, Bottas não conseguiu ultrapassá-lo nas últimas voltas. Albon, que iniciou em quarto lugar, conseguiu fazer uma bela corrida e chegar ao seu primeiro pódio.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva! Siga o Torcedores também no Instagram

A Ferrari, que celebrou seu 1000º GP, não teve muito o que comemorar na corrida. Vettel quebrou a asa ao bater no carro de Sainz no início da prova e foi para as últimas colocações, encerrando em 10º. Enquanto Leclerc, que largou em quinto, teve lampejos de esperança, mas terminou em oitavo lugar.

Largada com acidentes no GP da Toscana

A largada e as primeiras curvas deram emoção ao início da corrida. Bottas, que largou mal nas últimas duas provas, disparou na frente e ultrapassou Hamilton. Leclerc pressionou o carro da Mercedes, mas o britânico conseguiu fechar o caminho e seguir na segunda colocação.
Carlos Sainz rodou logo no início da corrida, ao tocar no carro de Stroll. Posteriormente, Vettel colidiu com o carro da McLaren, quebrou sua asa e foi para a última colocação.

Verstappen, um dos destaques no treino classificatório, e Gasly, vencedor do GP anterior, foram parar na brita. O piloto francês acabou se colocando no meio de dois carros, e juntos, bateram na traseira do holandês. Os dois foram para fora da pista e abandonaram a prova.

Relargada com mais acidentes

Seis voltas mais tarde, a relargada aconteceu, mas os pilotos correram por pouco tempo. Bottas, iniciou com a velocidade mais baixa do que se esperava, surpreendendo os pilotos que estavam atrás. Magnussen, Giovinazzi, Sainz e Latifi não conseguiram enxergar nada disso, colidiram forte e abandonaram a prova.

Pela segunda corrida seguida, houve bandeira vermelha, e os pilotos foram para os boxes até que se limpassem os destroços da pista. A última vez que isto havia acontecido, foi em 2011, nos GPs de Monaco e do Canadá.

Na relargada, desta vez com os carros parados, Hamilton usou a estratégia que esperava-se que Bottas usaria no início da corrida contra o finlandês. O britânico pegou o vácuo da Mercedes de seu companheiro de equipe, e logo o ultrapassou por fora na primeira curva curva, com facilidade.

Terceira relargada do GP da Toscana

Mais tarde, na 44ª volta, Lance Stroll, bateu forte e provocou mais uma bandeira vermelha. Novamente, a prova ganharia novas histórias em sua terceira relargada. A última vez que uma prova teve duas bandeiras vermelhas foi no GP do Brasil, em 2016, vencido por Hamilton.

Na relargada, Hamilton disparou na frente, enquanto Bottas não conseguiu executar a estratégia de pegar o vácuo de seu companheiro de equipe. Além disso, o finlandês ainda foi ultrapassado por Ricciardo, que foi o mais rápido, indo de o à 200 Km/h em 4,2 segundos. Entretanto, na volta seguinte o carro da Mercedes conseguiu ultrapassá-lo e retomar a segunda colocação. Posteriormente, o australiano perdeu sua terceira posição com Albon, que em seguida, foi à caça de Valtteri Bottas. Apesar de não conseguir a segunda posição, o tailandês conseguiu seu primeiro pódio na carreira.

Mesmo em seu 1000º GP, a alegria da Ferrari durou pouco

Enquanto Vettel tentava se recuperar do acidente no início da prova, seu companheiro de equipe se encontrava em disputas no pelotão da frente. Mas como sempre acontece nesta temporada, a alegria da Ferrari durou pouco. Leclerc, na terceira colocação, viveu pesadelos no primeiro setor do Circuito de Toscana. Ali, Stroll, na 18ª volta, Ricciardo, na 19ª.  Poucas voltas depois, Albon e Perez também ultrapassaram o monegasco, que reclamou de seus pneus macios. Posteriormente o piloto colocou pneus duros, para em tese, correr com eles até o fim da prova.

Entretanto, a estratégia não surtiu efeito e Leclerc não conseguiu sequer chegar perto das primeiras posições. Sendo assim, a Ferrari partiu para um possível plano C, trocando os pneus do carro do monegasco para médios na 38ª volta.

Hamilton X Bottas

Após as disputas pela liderança na largada e nas relargadas, os pilotos da Mercedes disputaram também em suas estratégias de paradas nos boxes. Na 27ª volta, o finlandês deixou claro que queria brigar com seu companheiro pela primeira colocação. “Para os meus próximos pneus, eu quero o oposto do Hamilton”, disse o piloto para a equipe pelo rádio.

Posteriormente, na volta 44, Stroll bateu forte forte e provocou outro Safety Car. Hamilton já havia passado pelos boxes quando isso aconteceu, Bottas não, e se aproveitou disso para trocar seus pneus antes de todos os outros pilotos nesse momento. Entretanto, a bandeira que inicialmente foi amarela, se tornou vermelha e houve mais uma relargada. E desta vez, Hamilton se manteve na ponta, enquanto Bottas teve que duelar com Ricciardo pela segunda colocação.

Após relargar mal no final da corrida, Bottas se recuperou e conseguiu se aproximar de seu companheiro nas últimas voltas. Mesmo baixando seu tempo a cada setor, o finlandês não conseguiu ultrapassar Hamilton.

 

Abandonaram a prova: Gasly, Verstappen, Sainz, Giovinazzi, Magnussen, Latifi, Ocon, Stroll.

Melhor volta: Hamilton 1;18:833

LEIA MAIS: