Chegada de Thiago Alcântara pode dar o toque de refinamento que faltava ao Liverpool de Jürgen Klopp

Na coluna PAPO TÁTICO, Luiz Ferreira explica como o brasileiro naturalizado espanhol pode se encaixar na sua nova equipe

Luiz Ferreira
Produtor executivo da equipe de esportes da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, jornalista e radialista formado pela ECO/UFRJ, operador de áudio, sonoplasta e grande amante de esportes, Rock and Roll e um belo papo de boteco.

Crédito: Reprodução / Twitter / Liverpool FC

Talvez a grande novidade dessa janela de transferências europeia seja a contratação de Thiago Alcântara pelo Liverpool. Não somente pela conquista da última edição da Liga dos Campeões da UEFA comandando o meio-campo do Bayern de Munique, mas pelo futebol que o brasileiro naturalizado espanhol vem apresentando nas últimas temporadas. O agora camisa 6 dos Reds foi o grande nome do escrete bávaro nas últimas temporadas pelo escrete bávaro pela Seleção Espanhola e agora parte para um novo desafio na sempre disputada Premier League. Aos 29 anos e carregando toda a experiência adquirida através da convivência com treinadores como Pep Guardiola e Jupp Heynckes, Thiago Alcântara terá que se adaptar ao estilo de altíssima intensidade de Jürgen Klopp e dar o toque de refinamento e categoria que pode levar o Liverpool a patamares ainda maiores.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Quando se fala em Thiago Alcântara, a primeira partida que vem à nossa mente é o massacre sobre o Barcelona, em jogo válido pelas quartas de final da Liga dos Campeões de 2019/20. Quem via o posicionamento do camisa 6 no escrete bávaro poderia até pensar que estamos falando apenas de um volante com bom passe e ótima visão de jogo. Só que as coisas não funcionavam assim na estratégia de Hans-Dieter Flick. O estilo do Bayern também era de alta intensidade e exigia de seus volantes concentração, controle de bola e velocidade para pisar na área sempre que o time saía para o ataque. Thiago Alcântara, Goretzka e Kimmich eram as principais engrenagens de uma máquina que moeu seus adversários na temporada passada. Principalmente o brasileiro naturalizado espanhol, que sabia a hora certa de acelerar ou cadenciar as jogadas de ataque no Bayern.

Barcelona vs Bayern de Munique - Football tactics and formations

Thiago Alcântara foi o grande comandante do meio-campo do Bayern de Munique na conquista da última edição da Liga dos Campeões. A goleada sobre o Barcelona (pelas quartas de final da competição) foi construída a partir da visão de jogo do camisa 6, uma das principais peças do time comandado por Hans-Dieter Flick.

A transferência para o Liverpool, no entanto, não é garantia de sucesso de Thiago Alcântara na equipe inglesa. Primeiro pela clara necessidade de adaptação ao estilo de altíssima intensidade implementado por Jürgen Klopp. Vale lembrar que o brasileiro Fabinho precisou de um período para entender a filosofia de jogo do treinador alemão e só depois disso é que ele começou a aparecer na equipe titular até se transformar em uma das peças mais importantes do esquema de jogo de Klopp. Como já se sabe, Thiago Alcântara é jogador de alta classe, criatividade e refinamento técnico. Mas até mesmo os mais talentosos precisam de tempo para se adequar às ideias de um determinado treinador. E também do nível de exigência da Premier League, bem maior do que o exigido na Bundesliga, onde o Bayern de Munique foi campeão das oito últimas edições.

Por outro lado, Thiago Alcântara chega para dar ainda mais qualidade ao meio-campo do Liverpool (que ja conta com nomes como Henderson, o já citado Fabinho, Wijnaldum, Naby Keita e Oxlade-Chamberlein). O leque de opções para Jürgen Klopp aumenta de maneira exponencial apenas por ter no seu elenco um jogador que tem todas as condições de se adaptar ao seu estilo de alta intensidade e que também sabe os momentos certos de cadenciar e acelerar o jogo. E dentro do 4-3-3 costumeiro do treinador dos Reds, é bem possível imaginar Thiago Alcântara à frente da zaga formada por Joe Gomez e Virgil Van Dijk distribuindo o jogo e iniciando a saída de bola auxiliado pelos laterais Alexander-Arnold e Robertson e pelos “volantes-meias” Henderson e Wijnaldum. O mesmo camisa 6 ainda teria liberdade para pisar na área e marcar seus golzinhos tal como fez (muitas vezes) no Bayern de Munique.

Liverpool - Football tactics and formations

Thiago Alcântara pode repetir seu posicionamento no Bayern de Munique (jogando à frente da zaga) ou até trocar de posição com Hernderson ou Wijnaldum para pisar na área e municiar o trio ofensivo do Liveprool. O futebol do time comandado por Jürgen Klopp tende a crescer muito com a chegada do brasileiro naturalizado espanhol.

Apesar das possibilidades, só o tempo vai dizer se Thiago Alcântara terá sucesso no Liverpool. Há a necessidade de tempo para se adaptar a uma nova filosofia de jogo (ainda mais intensa do que a de Hans-Dieter Flick no Bayern de Munique). É, sem dúvida, um verdadeiro desafio para o novo camisa 6 dos Reds. A tendência é vermos um time mais balanceado. Laterais extremamente ofensivos (e com liberdade para apoiar), meio-campo insinuante e trio de ataque ainda mais letal. Tudo por conta da chegada de um jogador que sabe cadenciar o jogo, conhece os atalhos do campo e que sabe usar velocidade quando necessário. No entanto, o tempo será o maior aliado de Thiago Alcântara nesse processo de adaptação à nova casa e ao estilo de jogo de Jürgen Klopp. Não é qualquer jogador que se encaixa rapidamente no “gegenpressing” implementado pelo treinador alemão nos Reds.

O que é certo é que Thaigo Alcântara chega para somar e somar muito. Chega para dar o toque de refinamento que ficou faltando em algumas partidas do Liverpool na última edição da Champions League. Pdoe demorar um pouco ainda, mas é certo que o Liverpool pode ganhar ainda mais força no cenário nacional e internacional com a chegada do brasileiro naturalizado espanhol.

LEIA MAIS:

Liverpool anuncia contratação de Thiago Alcântara, que recebe elogios de Klopp

Seleção convocada por Tite vale mais de R$5 bilhões; veja valores