Neymar marca três, ultrapassa Ronaldo Fenômeno e fica só atrás de Pelé na artilharia da seleção

Neymar marca três gols na vitória do Brasil contra o Peru, pela segunda rodada das Eliminatórias da Copa de 2022

Marcel Thomé
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Getty Images

Neymar foi o grande destaque do Brasil na vitória de virada contra o Peru, por 4 a 2, pela segunda rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2022. O atacante marcou três gols e ultrapassou o craque Ronaldo Fenômeno no segundo lugar do ranking dos maiores artilheiros da história da seleção brasileira.

Com os três diante do Peru, Neymar alcançou os 64 gols com a camisa do Brasil e agora está a apenas 13 de distância de ninguém menos que Pelé, o maior jogador de todos os tempos.

Veja a lista com os maiores artilheiros da seleção brasileira em jogos oficiais (1914 a 2020):

1º – Pelé (77 gols)
2º – Neymar (64 gols)
3º – Ronaldo (62 gols)
4º – Romário (55 gols)
5º – Zico (48 gols)
6º – Bebeto (39 gols)
7º – Rivaldo (35 gols)
8º – Jairzinho (33 gols)
9º Ronaldinho Gaúcho (33 gols)
10º Ademir Menezes e Tostão (32 gols)

Acompanhe as notícias do seu time do coração pelo Facebook

Histórico de Neymar na seleção brasileira

Neymar estreou na seleção brasileira no ano de 2010, logo após a Copa do Mundo daquele ano, que foi realizada na África do Sul. Na época, o atual atacante do PSG despontava como uma grande estrela do futebol nacional, brilhando com a camisa do Santos ao lado de Paulo Henrique Ganso e encantando o Brasil. Desde então ele marca pelo menos um gol em cada ano.

Apesar de duas Copas do Mundo frustrantes por diversos motivos, Neymar conquistou títulos pela seleção brasileira, mesmo não tendo participado da Copa América 2019 que culminou na conquista do Brasil.

Os mais importantes são o título da Copa das Confederações, em 2013, quando marcou um gol na final contra a Espanha, no Maracanã, e a medalha de ouro na Olimpíada do Rio de Janeiro, quando o craque brasileiro foi protagonista na final contra a Alemanha.

Além dessas duas taças, o camisa 10 (outrora 11) também já venceu o Superclássico das Américas por quatro vezes (2011, 2012, 2014 e 2018), o Campeonato Sul-Americano Sub-20 em 2011 e foi prata Olímpico em 2012, em Londres.

LEIA MAIS: