O que esperar da World Series entre Tampa Bay Rays e Los Angeles Dodgers

LA tenta espantar o fantasma dos últimos anos enquanto TB tenta seu primeiro título

Thais May Carvalho
Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Jayne Kamin-Oncea/Getty Images

Depois de uma temporada atípica, com apenas 60 jogos, está chegando a hora da grande final da MLB. A partir desta terça-feira (20), o Tampa Bay Rays e o Los Angeles Dodgers vão se enfrentar em uma série melhor de sete para ver quem ficará com o título da World Series. Sem dúvida, a equipe da Califórnia chega como favorita à decisão, tendo batido na trave nos últimos anos e tendo um elenco super estrelado. Porém, Tampa vem se mostrando uma equipe muito completa e deve jogar de igual para igual contra Los Angeles. Em 2019, as duas equipes se enfrentaram 4 vezes e cada uma saiu com duas vitórias. 

Um fato curioso é que a World Series decidirá qual a cidade mais vencedora dos esportes americanos em 2020. Isso porque no início de outubro o Los Angeles Lakers foi campeão da NBA, e no final de setembro o Tampa Bay Lightning levantou a Stanley Cup na NHL.

CAMINHO ATÉ A FINAL

Durante a temporada regular, os Rays venceram 40 de 60 jogos, ficando em primeiro lugar na sua divisão e na Liga Americana. Com isso, o time foi o primeiro seed da AL nos playoffs. Na primeira rodada da pós-temporada, Tampa Bay venceu o Toronto Blue Jays por 2-0, no round 2 a equipe bateu o New York Yankees por 3-2, e na final de conferência, os Rays ganharam do Houston Astros por 4-3.

Já a equipe de Los Angeles venceu 43 dos seus 60 jogos, sendo o time de melhor campanha durante a temporada regular, e assim conquistando o primeiro seed na Liga Nacional. No primeiro round dos playoffs, os Dodgers venceram o Milwaukee Brewers por 2-0, na segunda rodada eles bateram o San Diego Padres por 3-0, e na final de conferência eles derrotaram o Atlanta Braves por 4-3.

Crédito imagem: MLB.com

O QUE ESPERAR DO TAMPA BAY RAYS

Os Rays chegaram na World Series deve ter surpreendido diversos fãs. Porém, no início da temporada, os especialistas da área já apontavam o time de Tampa como um dos candidatos a chegar na final, e a equipe deve dar trabalho aos Dodgers. Apesar de não ter um elenco recheado de estrelas e nomes conhecidos, os Rays têm um jogo coletivo muito forte e utiliza muito bem os analytics para elevar seus pontos fortes. Um exemplo disso é abrir mão de um arremessador titular para que o bullpen jogue as nove entradas.

Sem dúvida, um dos destaques deste time de Tampa é a defesa, e isso começa com os arremessadores. Blake Snell, Charlie Morton e Tyler Glasnow são um trio poderoso começando os jogos, e o bullpen do time é provavelmente o melhor da liga. Além disso, durante a campanha nos playoffs, os Rays tiveram jogadas de impacto no lado defensivo, o que preveniu os adversários marcarem pontos importantes. O infield da equipe é bom, mas os jogadores de outfield são acima da média em suas posições.

No lado ofensivo, Randy Arozarena está tendo uma das melhores pós-temporadas para um rebatedor, mas o time não é conhecido por ter um ataque explosivo. De forma geral, a equipe tem bons jogadores, com destaque para Margot, Choi e Zunino nessa pós-temporada, mas os outros rebatedores não vem atuando muito bem nos últimos jogos.

Crédito foto: Bruce Bennett/Getty Images

O QUE ESPERAR DO LOS ANGELES DODGERS

Os Dodgers chegam como favoritos ao título da World Series. Isso acontece por algumas razões. A primeira delas é o elenco, que parece não ter um ponto fraco. Los Angeles não economiza na construção do seu time – para efeito de comparação, só neste ano o salário de Mookie Betts e Clayton Kershaw vale cerca de US$ 26 milhões, enquanto a equipe inteira dos Rays recebe pouco mais de US$ 28 milhões. Um segundo fator importante é a experiência do time nos playoffs. São oito anos seguidos chegando pelo menos até a série de divisão e duas derrotas em World Series em 2017 e 2018. Ou seja, o time de Los Angeles já está cheio de calos e parece que agora está realmente pronto para vencer o título.

Porém, para levantar o troféu, a equipe terá que jogar melhor do aquilo que mostrou contra o Atlanta Braves. Apesar de ter batido o home run da classificação, Cody Bellinger está tendo dificuldades no bastão o ano inteiro. Mookie Betts é outro que também precisa melhorar na parte ofensiva nos playoffs. A notícia boa é que ambos estão se destacando na defesa. Enquanto isso, Corey Seager está com o bastão quente e isso precisa continuar para os Dodgers terem sucesso.

No montinho, Los Angeles tem nomes poderosos, especialmente na rotação dos titulares com Kershaw e Walker Buehler. Já no bullpen, as coisas são mais incertas. O time teve altos e baixos, mas nos últimos jogos vem atuando bem, principalmente Kenley Jensen, o que é uma excelente notícia para os torcedores dos Dodgers. O maior ponto de interrogação é Dustin May, que teve boa temporada até enfrentar os Braves.

Crédito foto: Tom Pennington/Getty Images

CALENDÁRIO DAS FINAIS

Confira abaixo a programação com o dia e o horário de Brasília de cada uma das partidas da World Series (todos os jogos serão transmitidos nos canais ESPN). É importante notar que mesmo com os mandos sendo divididos, todos os jogos serão em campo neutro pela primeira vez na história, no Globe Life Field, no Texas (o que pode ser uma vantagem para os Dodgers, que estão atuando lá desde a série contra San Diego).

Jogo 1: Terça-feira, 20/10 – 21:09 – mando LAD

Jogo 2: Quarta-feira, 21/10 – 21:08 – mando LAD

Jogo 3: Sexta-feira, 23/10 – 21:08 – mando TBR

Jogo 4: Sábado, 24/10 – 21:08 – mando TBR

Jogo 5: Domingo, 25/10 – 21:08 (se necessário) – mando TBR

Jogo 6: Terça-feira, 27/10 – 21:08 (se necessário) – mando LAD

Jogo 7: Quarta-feira, 28/10 – 21:09 (se necessário) – mando LAD