Sem público! Governo nega abertura do Camp Nou para Barcelona x Real Madrid

Ideia de levar torcedores ao Camp Nou foi rechaçada

Matheus Camargo
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Angel Martinez/Getty Images

Não haverá público no clássico entre Barcelona x Real Madrid, no dia 24 de outubro, pelo Campeonato Espanhol. A ideia era de que sócios-torcedores do clube catalão fossem liberados para assistirem à partida, com medidas de segurança e seguindo os protocolos de saúde, mas foi rechaçada pelo Ministério de Saúde da Espanha nesta quinta-feira (15), já que uma segunda onda de Covid-19 tem assolado a Europa.

Conheça a Bet4Plus e experimente fazer uma aposta esportiva grátis, sem necessidade de depósito

A ideia era que, no dia 20 de outubro, a partida de estreia da Liga dos Campeões, contra o Ferencváros, da Hungria, também funcionasse no mesmo esquema, para cerca de 30 mil pessoas, mas também houve rejeição por parte das autoridades locais.

A ministra da Saúda da Espanha, Alba Vergés, concedeu entrevista à Rádio Catalunya e descartou profundamente a ideia do clube. “Na atual situação é muito difícil que seja liberada a volta do público aos estádios. Não podemos assegurar que será assim durante toda a temporada, mas asseguro que para os jogos do dia 20 e 24 de outubro é impossível.”

Acompanhe as notícias do seu time pelo Facebook

O clube havia realizado um projeto e enviado um protocolo de segurança para que fossem abertas as portas do Camp Nou para 30% da capacidade total, respeitando as normas impostas pelo governo. Porém, o Ministério da Saúde entende que a Catalunha é um dos locais de maior risco para uma segunda onda de Covid-19 na Espanha.

O Real Madrid é o líder do Campeonato Espanhol com 10 pontos ganhos em quatro jogos disputados. A equipe tem um jogo a menos. O Barcelona tem sete pontos e está na quinta posição, mas disputou apenas três jogos e tem dois a menos em relação às outras equipes.

Leia mais:
Neymar ainda não ultrapassou Ronaldo e está muito longe de Pelé na artilharia da Seleção para a CBF; veja o ranking