Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

No Brasil, Henry Cejudo volta a provocar Deiveson Figueiredo

Aposentado do MMA, americano vem ajudando lutadores da Pitbull Brothers e disparou contra atual campeão dos moscas

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: Reprodução/Instagram

Henry Cejudo está aposentado do MMA, mas não totalmente afastado do mundo das lutas. O americano, ex-campeão dos galos e dos moscas do UFC está no Brasil para ajudar na preparação os irmãos Patrício e Patrick Pitbull na sede na academia Pitbull Brothers, em Natal (RN).

Em entrevista ao Combate, Cejudo falou sobre a possibilidade de retornar ao Ultimate, no qual disse que apenas um contrato que lhe seja interessante o atraia. No entanto, não deixou de lançar provocação a um possível rival: o brasileiro Deiveson Figueiredo, atual campeão da categoria dos moscas.

“Gosto do Deiveson, mas ele não dura dois rounds comigo. Não tem wrestling, acho que sou mais brasileiro que ele. Para mim, esse cara é paraguaio. Ele está tomando conta do meu cinturão, é a babá do meu cinturão. Quando eu decidir voltar, ele voltará para mim. Ainda preciso falar com Dana White e ver de quanto dinheiro estamos falando. Estou com saudade de lutar, mas preciso de uma motivação para isso. Se me derem o que quero, o ‘Deus da Guerra’ (apelido de Deiveson) enfrentará o Triplo C'”, provocou o americano.

Se não pintar a chance de encarar Deiveson Figueiredo, Cejudo pode ter outro atual dono de um antigo cinturão seu a enfrentar: o russo Petr Yan, dono do título dos galos. Assim como aconteceu ao falar do brasileiro, o ex-campeão do UFC também desdenhou de Yan.

“Petr Yan sabe trocar, mas não sabe wrestling. Ele não é completo e não vai ficar muito tempo como campeão. Tem o José Aldo, que é uma lenda no Brasil, mas comigo não duraria mais de dois rounds. Quem sabe como estarei em dezembro? Estou pronto, não parei de treinar. Se tudo der certo, matarei o ‘Deus da Guerra’, o Yan e todo mundo que vive falando de mim”, disparou.

LEIA MAIS

Glover Teixeira quer virar ‘reserva’ de luta entre Blachowicz e Adesanya