Treinador do Paysandu pede desculpas após derrota e diz: “não jogamos a toalha”

João Brigatti fala em trabalhar o emocional para o duelo contra o Ypiranga

Octávio Almeida Jr
Jornalista graduado pela Universidade da Amazônia (UNAMA), 27 anos.Repórter de campo pela Rádio Unama FM em duas finais de Campeonato Paraense (anos 2016 e 2017).

Crédito: Jorge Luiz/Paysandu

O treinador do Paysandu, João Brigatti, avaliou que o time bicolor foi mal, no clássico deste domingo (10), no estádio Mangueirão. Desatenção e baixo desempenho, sobretudo no primeiro tempo, são alguns dos fatores que explica a derrota por 1 a 0.

“Acredito que o primeiro tempo foi totalmente irreconhecível da nossa equipe. Não conseguimos, principalmente, a posse de bola, o domínio do jogo, (dar) dois, três passes em sequência. Isso lógico que atrapalha demais”, iniciou Brigatti.

“Tomamos um gol em que foi uma falta, no rebote do nosso goleiro, nossa defesa estava desatenta. Isso infelizmente isso aconteceu. No segundo tempo, acho que nossa equipe teve um volume de jogo maior, perdemos situações pra poder empatar e até virar a partida”, prosseguiu o treinador do Paysandu.

Com o resultado, o clube alviceleste perdeu a oportunidade de conquistar o acesso à Série B do Campeonato Brasileiro.

“Não é fácil perder para o maior rival um clássico tão importante como esse que valia, já nessa rodada o acesso. O que deixa de ensinamento é que a gente tem que ter a cabeça no lugar nesse momento”, acrescentou Brigatti.

“A gente tem que pedir desculpas para o nosso torcedor. Hoje, a gente não se comportou tão bem dentro da partida”, reconheceu.

Próximo jogo

O próximo compromisso pode ser o último do Paysandu na atual edição de Série C. O time bicolor agora enfrenta o Ypiranga. O duelo está marcado para sábado (dia 16 de janeiro), às 17h. Uma vitória faz o Papão conquistar o acesso.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

“Ainda não estamos fora da competição, só depende de nós ainda. Vamos recolher a situação desagradável que aconteceu dentro da partida, estudar bastante, ver o que aconteceu de ruim, foram muitas coisas boas também. A gente tem que olhar por esse lado e assimilar ao longo da semana”, declarou João Brigatti.

“Temos que trabalhar o emocional, temos que trabalhar outras situações também pra chegar muito forte porque ainda só depende de nós. Não jogamos a toalha. Pode ter certeza: a equipe do Paysandu é guerreira, tem jogadores que sentiram demais essa derrota, mas temos que reunir forças”, finalizou o treinador do Paysandu.

Assista à entrevista de João Brigatti, treinador do Paysandu:

Leia também:

Remo derrota Paysandu e está de volta à Série B após empate entre Londrina e Ypiranga

Após derrota, torcedores invadem perfil do Paysandu e detonam Paulo Ricardo: “pipoqueiro”