“Não queria mais viver”: Sobrinho de Maradona relata sofrimento de craque argentino no fim da vida

Craque argentino morreu no fim de 2020, aos 60 anos

Matheus Camargo
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação

A morte de Diego Armando Maradona chocou a Argentina e todo o mundo do futebol, já que o craque tinha 60 anos e estava em atividade como treinador do Gimnasia. Mas uma revelação de Johnny Espósito, sobrinho do ex-jogador, deu luz a um sofrimento que o campeão do mundo em 1986 vinha passando. Espósito deu entrevista ao canal KZO, da TV argentina.

Segundo o filho de María Rosa Maradona, irmã do craque, seu tio não tinha mais vontade de viver, já que não conseguia sequer chutar uma bola. Dias antes de morrer, no fim de novembro, Maradona passou por uma cirurgia no cérebro.

“No dia 24, (Maradona) estava bem, mas ele não queria viver, não se deixava ajudar. Não sei por que ele não lutou como sempre lutou”, admitiu Johnny. “Eu acho que pode ter sido porque ele não conseguia mais chutar uma bola.”

O sobrinho ainda revelou um diálogo que teve com Maradona dias antes de sua morte.

“Ele me disse “já vivi 60 anos e me privei de muitas coisas e não quero continuar assim”. Não sei se ele sentiu – que iria morrer -, mas ele estava te dizendo ‘eu vivi até os 60, eu não quero mais’.”

Assista à entrevista do sobrinho de Maradona, na íntegra:

De Galvão Bueno a jornalistas de outras emissoras: Web é tomada por homenagens a Tino Marcos em despedida da Globo