Russell Wilson de saída do Seattle Seahawks?

Destinos para uma possível troca de Russell Wilson foram revelados

Thais May Carvalho
Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Otto Greule Jr/Getty Images

Segundo publicação feita nesta quinta-feira (25) pelo repórter Adam Schefter, da ESPN norte-americana, Russell Wilson não pediu para sair da equipe, mas, se os Seahawks quiserem trocá-lo, ele estaria disposto a ir para o Dallas Cowboys, o New Orleans Saints, o Chicago Bears ou o Las Vegas Raiders.

Essa informação, revelada pelo agente do jogador, agita ainda mais o mercado dos quarterbacks, que está a todo vapor nesta offseason, com a ida de Carson Wentz para o Indianapolis Colts, a troca de Matthew Stafford e Jared Goff entre Rams e Lions e a briga de Deshaun Watson para sair dos Texans. Isso sem contar os rumores sobre a troca de Aaron Rodgers e um possível retorno de Andrew Luck, embora esses cenários pareçam improváveis.

A notícia também é mais uma indicação de como a relação entre Wilson e o time de Seattle está desgastada. Antes da última temporada, o QB mostrava sinais de que queria ser mais protagonista do ataque, o que culminou na campanha #LetRussCook. A estratégia deu certo inicialmente e o camisa 3 chegou a ser cotado para o prêmio de MVP nos primeiros meses. Porém, Russell passou a cometer muitos turnovers, e ele, assim como o resto da equipe, caíram de produção.

Segundo reportagem do The Athletic, após o jogo contra os Cardinals, na semana 11, as ideias de Wilson passaram a ser ignoradas pelo comando técnico da equipe e há relatos de que o QB saiu irritado no meio de uma reunião. Um grande problema, na visão de Russell Wilson, é a linha ofensiva. Em 2020, ele sofreu 47 sacks, terceira maior marca da NFL. 

Após o Super Bowl, o jogador declarou em entrevista: “Acho que a realidade é que definitivamente fui atingido. Já fui sackado quase 400 vezes, então temos que melhorar. Eu tenho que encontrar maneiras de melhorar também.”. Ele acrescentou que para construir um time campeão, a primeira coisa que precisa melhorar é a proteção. Essas declarações foram vistas como surpreendentes, tendo em vista que Russell geralmente não faz esse tipo de reclamação publicamente.

Seattle também foi pego de surpresa e os chefões da franquia ficaram descontentes com a fala de Wilson. Após o episódio, Ian Rapoport, da NFL Network, afirmou que mais de 10 times entraram em contato com os Seahawks para ver se a equipe estava aberta a uma troca, o que foi negado em todas as ocasiões.

Russell ainda tem que cumprir três dos quatro anos do seu contrato, que foi estendido em 2019, por um valor de 140 milhões de dólares (dos quais US$ 69 milhões ainda tem que ser pagos). Uma nota importante é que esse contrato inclui uma cláusula que não permite trocas, então o atleta precisaria abrir mão deste termo, mas, ao mesmo tempo, teria o poder de escolher para onde ir. Se trocado até 1 de junho, os Seahawks ainda teriam que pagar US$ 39 milhões em 2021 por Wilson, então parece improvável que isso aconteça ainda este ano.

Mesmo com todas as polêmicas, o QB disse que espera poder jogar em Seattle pelo resto da carreira, mas que o futuro não depende só dele. Russell Wilson também pareceu animado com o novo coordenador ofensivo contratado pelo time. Ele participou do processo de seleção e teve a sua opinião ouvida por Pete Carroll, que recrutou Shane Waldron, ex-coordenador de passe dos Rams.