PVC discorda de parar o futebol e compara aglomerações em casa: “Então, tem de fechar BBB e Netflix”

Comentarista contestou a declaração do MP sobre a paralisação

Rogério Araujo
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução

O Brasil está vivendo o pior momento da pandemia do novo coronavírus. Por conta disso, as partidas de futebol estão cada vez mais sendo motivo de avaliações, levando a paralisação do Campeonato Paulista, por exemplo. Nesta terça-feira (16), o comentarista PVC (Paulo Vinícius Coelho) escreveu um texto contestando a declaração do Ministério Público de que povo se aglomera em casa por conta do futebol.

“A Federação Paulista sugeriu usar o futebol para aumentar a divulgação para ficar em casa, em vez de haver aglomerações. Argumentou que o futebol não incentiva as reuniões de torcedores — na verdade, a Polícia é que não fiscaliza, como os cassinos. Mas o Procurador Geral de Justiça de São Paulo, Mario Sarrubbo, argumentou que o Brasil não é como a Inglaterra ou Portugal, e afirmou que… as pessoas se aglomeram em casa para ver futebol. Ora… Então tem de acabar com o Netflix. Com o Big Brother. O procurador vai querer cancelar todos os aniversários”, escreveu ele em sua coluna no site ge, do Grupo Globo.

Além disso, PVC comparou as decisões do Brasil em relação ao futebol com as de outros países como Portugal.

“Em Portugal, o governo fechou as pessoas em casa, diminuiu o número de casos de quase oito mil para 790 por dia em duas semanas, manteve o futebol, apesar do lockdown. Ontem, as restrições começaram a ser abrandadas. O futebol seguiu. O cassino do Estoril, legalizado, estava fechado”, concluiu.

A opinião do jornalista rendeu muitas críticas a ele no Twitter.

Veja a repercussão:

LEIA MAIS: