Jogadores que custam uma fortuna aos clubes, mas não rendem o esperado

Alguns jogadores são contratados com certo status de craque, mas acabam ficando mais no banco de reservas do que em campo, sendo os famosos reservas de luxo

Gabriel Bacci
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução / Lancepress

 

Após o final de cada temporada, os times fazem um balanço de como foi o ano, em que aspectos o time ficou devendo e quais as posições mais carentes de jogador do time. É nesse momento que dirigentes se lançam ao mercado a fim de vencer a concorrência e tentar tirar alguns jogadores-chave de seus respectivos clubes.

Entretanto, muitas vezes os times acabam oferecendo contratos valiosos e os jogadores que vieram para ser titulares absolutos, não atendem as expectativas e acabam “esquentando o banco”. Os clubes, por sua vez, ficam no prejuízo, tendo de arcar com salários milionários e sem a possibilidade de vender o jogador, já que ele acaba não jogando e não sendo almejado por outros clubes.

Abaixo listamos cinco jogadores que são reservas de luxo em seus clubes.

1 – Vitinho (Flamengo):

Vitinho chegou sendo a maior contratação da história do Flamengo e atualmente recebe cerca de R$1 milhão mensais. O atleta jogou 29 partidas pelo campeonato brasileiro de 2020, sendo titular em apenas nove oportunidades.

2 –  Lucas Lima (Palmeiras):

Lucas Lima chegou com status de craque. Veio do rival Santos e, assim como Vitinho do Flamengo, recebe R$1 milhão mensais. LL, como é chamado pelos mais próximos, está longe de render e de jogar o futebol apresentado em seus melhores dias de Santos. Hoje é reserva do Palmeiras, algumas vezes aparece na escalação do time titular, mas com atuações abaixo do esperado sempre volta ao banco de reservas.

3 – Hernanes (São Paulo):

Hernanes é um jogador consolidado, com carreira fora do país e ídolo do São Paulo. O “Profeta”, como é chamado, voltou ao tricolor paulista em 2017 e com atuações de gala foi um dos responsáveis por salvar o time do rebaixamento naquela temporada. Como era emprestado pelo Hebei China Fortune, o jogador retornou a china em janeiro de 2018. Ao final do ano, o São Paulo resolveu comprar Hernanes, voltou com uma grande expectativa e salário milionario, R$1 milhão mensais. Atualmente, o “Profeta” mais fica no banco do que joga e como nos casos anteriores, acaba sendo mais prejudicial do que benéfico para as finanças do clube.

4 – Luan (Corinthians):

Esse talvez seja um dos casos mais famosos de contratações que deram (muito) errado. O vencedor do ouro olímpico de 2016 e craque das américas em 2017, sofria com recorrentes lesões no Grêmio, o que acabou afetando seu desempenho no tricolor gaúcho. O atleta, mesmo com problemas decorrentes de lesões passadas, chegou como um craque ao Corinthians no início de 2020 com um salário de R$650 mil e logo empolgou. Na Flórida Cup estreou com dois gols e fez boas atuações no começo do paulistão. Após um início de ano instável do time e parada dos campeonatos em decorrência da Pandemia pela Covid-19, Luan nunca mais jogou bem e quase nunca é titular, tendo aparições raras na segunda etapa das partidas.

5 – Michael (Flamengo):

Fechando a lista de reservas de luxo no Brasil, temos a revelação do campeonato brasileiro de 2019, que foi bastante concorrida, principalmente por Flamengo e Corinthians. Michael saiu do Goiás e escolheu o Flamengo como destino, recebendo um salário mensal de R$400 mil. Até hoje não rendeu o esperado e fica no banco de reservas de um elenco recheado de craques. Quando entra não joga bem e por isso não há expectativa de que algo mude nos próximos meses e no início dessa temporada 2021.

LEIA MAIS

Pepê publica foto ao lado de Jean Pyerre, e Marinho sai em apoio à dupla do Grêmio: “Tudo passa”

Empréstimos, retornos e cautela nas contratações: confira o resumo do Corinthians no Mercado da Bola

Empresário confirma interesse do Grêmio em volante paraguaio