Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Caetano admite sondagens do Brasil por jogador do Atlético-MG

Assim como a maioria dos clubes do Brasil, Atlético é mais um que convive com problemas financeiros e não descarta vendas futuras

Eder Bahúte
Jornalista e assessor de imprensa.

Crédito: Divulgacao/Atlético

Em meio à pandemia e com dificuldades financeiras, o Atlético sabe que será preciso fazer vendas na próxima janela para ganhar respiro no caixa. Recentemente, o próprio presidente do Galo, Sérgio Coelho, declarou ao portal Superesportes a possibilidade de negociar um ou dois jogadores do sistema defensivo.

“Como eu havia falado anteriormente, o Atlético tem grandes zagueiros, estamos muito felizes com eles. Mas é possível que um ou dois desses zagueiros saiam agora, por causa de propostas que podem vir. Já houve algumas consultas. Saindo um ou dois zagueiros, é preciso que a gente reforce”, afirmou Sérgio.

Nos últimos dias, o alvinegro estendeu o contrato do zagueiro Gabriel até o final de 2023. Para muitos, este seria um prelúdio de que o jovem poderia ser um dos negociáveis. Rodrigo Caetano, diretor de futebol, admite que o camisa 30 é sempre alvo de equipes brasileiras.

“Não temos nenhuma consulta (para venda de zagueiro) neste momento. A intenção de renovar com o Gabriel é porque o vínculo se encerraria no fim do ano. É um ativo do clube. Não quero ser pretensioso, mas conheço um pouquinho de mercado e sei que muitos clubes do Brasil sondam o Gabriel. Muitos. Eu mesmo, quando estava em outros clubes, sondei a situação do Gabriel. É um jogador que tem muita velocidade, tem bom passe, com características raras pra um zagueiro. Na nossa visão, nada mais justo que garantirmos o ativo do clube”, disse Caetano em entrevista ao jornalista Breno Galante.

Atlético

“Se teremos uma negociação envolvendo Igor (Rabello), Gabriel ou quem quer que seja só a janela dirá. Nós não temos nenhum interesse em comercializar nenhum atleta nosso no mercado interno, neste setor defensivo eu me refiro. O que o presidente se refere é a possibilidade da janela que abre em maio ou junho, e são situações que não podemos controlar. Para que tenhamos sempre a melhor negociação possível é preciso a maior garantia possível. Imagine se em julho o Gabriel pudesse assinar um pré-contrato, estaríamos em um cenário de fragilidade”, completou o dirigente do Atlético

Revelado na base do Atlético, Gabriel realizou 148 jogos e marcou seis gols.

LEIA MAIS: