Carioca 2021: Ferj pede à prefeitura 160 convites para times envolvidos

Entidade convidará 80 pessoas de Flamengo e Fluminense para assistir à final do Carioca, neste sábado (22)

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: Foto: Divulgação

A final do Campeonato Carioca, neste sábado, terá novamente presença restrita dentro do Maracanã. A Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) anunciou em reunião nesta quinta-feira (20) que irá pedir à Prefeitura carioca convites para que pessoas ligadas aos dois times envolvidos na decisão, Flamengo e Fluminense.

De acordo com o Uol Esporte, são 160 convites, 80 para cada um dos finalistas. Além dos 80 convidados, cada equipe poderá levar até 55 pessoas na delegação para a partida decisiva do estadual. Por causa dos protocolos sanitários e de segurança, estes convidados terão acesso restrito no estádio.

A Ferj quer colocar as pessoas que receberem os convites nos camarotes localizados no terceiro andar do Maracanã, com os convidados do Flamengo no lado norte e os do Fluminense, do lado sul. Estes não poderão ter acesso aos vestiários do estádio e nem ao setor Maracanã Mais, aonde estarão membros das comissões técnicas de ambas as equipes.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

Esta decisão veio depois de movimentação fracassada para levar a final do Carioca para Brasília. Tanto a Ferj como o Flamengo, para tentar a presença de torcida na decisão. O Flu, no entanto, foi contra, assim como Botafogo e Vasco, que estão na final da Taça Rio. Sem acordo para isto, a decisão segue sendo no Maracanã.

A partida de ida, na última semana, também viu um número limitado de convidados dos dois clubes e muita confusão. Houve desrespeito aos protocolos sanitários, com não cumprimento do distanciamento social e pouca adesão ao uso de máscaras. Além de discussões entre os integrantes das equipes na arquibancada.

LEIA MAIS

Rivaldo surpreende e aponta dois países com torcidas de clubes mais fanáticas que os brasileiros