Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Adriano ‘Imperador’ coloca Gabigol em escalação do Flamengo de todos os tempos: “Goleador nato e está dando a volta por cima”

Gabigol superou a marca de gols de Adriano com a camisa rubro-negra em fevereiro do ano passado

Danielle Barbosa
Jornalista. Escrevendo para o Torcedores desde 2014.

Crédito: Reprodução

Ídolo do Flamengo, Adriano ‘Imperador’, campeão brasileiro de 2009, colocou Gabriel Barbosa, o Gabigol, na seleção de todos os tempos do time rubro-negro. Durante entrevista ao Arena SBT, o ex-atacante afirmou que o atual camisa 9 é um ‘goleador nato’ e já sofreu muito no início da carreira.

“Eu acho que sim [o Gabigol está no Flamengo de todos os tempos]. É um goleador nato. Tudo que ele fez até hoje, ele está provando. Ele também já sofreu muito antes, com o pessoal pegando no pé, e ele está dando a volta por cima”, disse Adriano em entrevista realizada pelo apresentador Benjamin Back.

Em fevereiro do ano passado, Gabigol superou Adriano no número de gols com a camisa do Flamengo – na conquista da Supercopa do Brasil, o camisa 9 alcançou a marca de 47 gols, enquanto o Imperador tem 46. Na época, o artilheiro rubro-negro comemorou o feito. “Muito feliz por passar o Adriano e outros jogadores com tão pouco tempo. Obviamente, não faço os gols sozinho. Espero poder passar mais alguns, com todo respeito.”

POLÊMICA COM MOURINHO:

Adriano, assim como Gabigol, teve a oportunidade de vestir a camisa da Inter de Milão, mas ao contrário do atacante do Flamengo, o ex-jogador é ídolo do italiano, onde conquistou quatro títulos do Campeonato Italiano, além de duas edições da Copa da Itália e duas Supercopa da Itália.

Durante entrevista, Adriano relembrou o problema que teve com José Mourinho na Inter. “Ele viu que eu estava cabisbaixo para caramba e me botou para treinar separado. Eu fiquei mais p… da vida. Fiquei duas semanas treinado sozinho, depois voltei a treinar com o grupo”, recordou Adriano.

“Numa quinta-feira, ele falou que eu ia ser convocado [para o jogo], aí na sexta-feira ele não me convocou. Aí eu fiquei louco de novo. No sábado tinha treino, e eu não fui. Quando eu fui ver, todos os jogadores saíram do treino antes de viajar [para um jogo] e foram lá em casa pedir para eu não ir embora. Mexeu, mas eu vi que se eu ficasse, ia atrapalhar eles também. Eu falei que não podia fazer isso com eles”, completou.

As melhores notícias de esportes, direto para você

 

LEIA MAIS:
Com Adriano, revista lista os “10 maiores talentos desperdiçados” do futebol
Copa, título com o Flamengo e EUA: a carreira Adriano após o show contra a Argentina na final da Copa das Confederações de 2005

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes