Olimpíadas: Tóquio 2020, os Jogos mais caros de todos os tempos?

Adiamentos e incertezas contribuíram para o gasto recorde em Tóquio

Wagner Moreira
Formado em audiovisual, jornalista e analista de mídia

Crédito: Carl Court/Getty Images

O ano de 2020 será para sempre lembrado pelo impacto gerado pela pandemia do coronavírus no mundo.

O ano deveria ter sido marcado pela Olimpíadas de Tóquio, mas um evento de participação mundial era completamente inviável naquele cenário.

Em 24 de meio de 2020, o COI oficializou o adiamento dos jogos, desta vez não por uma guerra entre pessoas, como já havia acontecido na 1ª e 2ª Guerra Mundial, mas para vencer um vírus.

O adiamento de um ano, somado aos esforços para conter a pandemia e dar alguma segurança para a competição, fizeram os gastos com o evento aumentarem em US$ 2,79 bilhões, chegando a um total de US$ 15,4 bilhões.

A expectativa da organização, no começo do projeto, era gastar US$ 7,3 bilhões, mas o número já parecia fictício antes mesmo da pandemia da Covid-19.

O prejuízo total ainda não pode ser contabilizado, no último dia 21 de junho, a organização anunciou que o evento terá a presença de público, não podendo superar 10 mil pessoas.

A regra ainda pode ser alterada até o início dos jogos, de acordo com a situação de Tóquio no controle da doença, mas é certo que o monitoramento e testagem de público, atletas e imprensa, vão gerar mais gastos.

LEIA MAIS

Olimpíadas: Saiba o significado dos anéis olímpicos

Olimpíadas: Campeã aos 18 anos, Allyson Felix chega à quinta Olimpíada em Tóquio

Recordista, Formiga confirma que Tóquio será sua última Olimpíada