Pia Sundhage aprova manifesto da seleção feminina contra assédio sexual

Pia Sundhage disse em entrevista coletiva que as jogadoras decidiram em conjunto sobre o manifesto contra o assédio, na semana do afastamento de Caboclo

Fabrício Carvalho
Jornalista formado / Rio de Janeiro. Redator de notícias, artigos e relatos sobre futebol nacional e internacional, basquete e esportes americanos.

Crédito: Richard Collis/CBF

Pia Sundhage, técnica da seleção feminina de futebol do Brasil, aprovou o manifesto feita pelas jogadores antes do amistoso contra a Rússia nesta sexta-feira (11).

Na entrada de campo, as jogadores entraram com um cartaz escrito “Assédio Não”, referente ao afastamento do presidente da CBF, Rogério Caboclo, após decisão do Conselho de Ética da entidade.

A técnica sueca afirmou que conversou com as jogadores sobre este manifesto, revelando também que não foi uma decisão confortável. Porém, houve consenso entre as jogadoras para seguir em frente.

Na entrevista coletiva, Pia também falou sobre a goleada do Brasil sobre a seleção russa. A atuação fugiu um pouco das características visto que houve maior pressão no campo adversário.

Porém, a técnica afirmou que não ficou totalmente satisfeita com o desempenho pois o Brasil poderia ter criado mais oportunidades reais de gol.

A seleção brasileira feminina não jogada desde abril por causa da pandemia de Covid-19. Agora, a seleção está se preparando para a disputa do torneio olímpico em Tokyo 2020.

Cabe ressaltar sempre que o futebol feminino nos Jogos Olímpicos é disputado com as seleções principais, ao contrário do futebol masculino, onde equipes Sub-21 são enviadas.

Aspas de Pia Sundhage

Sobre o manifesto: “Antes de começarmos o jogo, falamos sobre isso. Eu gostaria de dizer que não é fácil, é uma grande decisão para tomar, porque todas têm que estar na mesma página para fazer isso. Acho que é importante. Fizemos isso, e fizemos juntas.”

Sobre o jogo: ” Se você olhar o jeito como defendemos, elas não criaram muitas chances. Há sempre espaço para melhorar, claro, mas nós conseguimos recuperar a bola rapidamente, e isso nos ajuda no ataque.  Estou feliz com a performance no ataque, especialmente no primeiro tempo. A velocidade do jogo foi boa, o que faltou foi criar mais chances na área, mas no fim nós tivemos situações interessantes. Temos que lembrar que nós não jogamos há algum tempo.”

LEIA MAIS