Atleta acusado de má conduta sexual foi banido da Vila Olímpica

Alen Hadzic coleciona acusações de assédios em competições esportivas e por precaução está proibido de ficar na Vila Olímpica

Matheus D'Avila
Colaborador do Torcedores

Crédito: Alexander Hassenstein/Getty Images

Por decisão da justiça dos EUA, o esgrimista Alen Hadzic está banido da Vila Olímpica em Tóquio. A determinação é reflexo de denúncias de conduta sexual inadequada. Conforme o processo, o atleta recebeu três reclamações entre os anos de 2013 e 2019 por assediar mulheres em competições esportivas.

De acordo com as informações publicadas pelo jornal The Sun, Hadzic, de 29 anos, está em um hotel em Tóquio, longe da delegação dos Estados Unidos que está instalada na Vila Olímpica. A participação do esgrimista nos jogos foi questionada e ameaçada. Porém, após muita discussão, uma suspensão aplicada pelas autoridades foi retirada. Dessa forma, a liberação para a participação na competição foi dada oficialmente.

“Não acho provável que a participação contínua de Hadzic seja prejudicial à reputação dos Estados Unidos ou de seu esporte”, manifestou a justiça americana.

Hadzic viajou para o Japão no dia 18 de julho. Ou seja, dois dias antes da delegação do seu país. Aconselhado pelos advogados a não procurar as denunciantes, o atleta nega com veemência as acusações de assédio. Já em Tóquio, o esgrimista relatou com alegria a receptividade que recebeu dos companheiros após temer pela reação gerada pelas denúncias.

“Eu não sabia como seria o ambiente até chegar aqui. Mas quando cheguei ao centro de treinamento, todos os treinadores apertaram minha mão e me parabenizaram por fazer parte do time. Todos os esgrimistas que eu pensei que teriam medo de falar comigo, todos vieram até mim e disseram ‘oi’. Até as mulheres”, disse ao portal USA Today.

LEIA MAIS: