Boca e Atlético-MG empatam em jogo pouco movimentado na Bombonera

Boca Juniors teve mais oportunidades de chegar ao gol diante de um Santos mais defensivo, mas não conseguiu aproveitar as raras chances

Fabrício Carvalho
Jornalista formado / Rio de Janeiro. Redator de notícias, artigos e relatos sobre futebol nacional e internacional, basquete e esportes americanos.

Crédito: Conmebol Media

Boca Juniors Boca Juniors 0-0 Atlético Mineiro Atlético-MG
Conmebol Libertadores 2021 - Oitavas de Final (Ida)

No jogo de ida válido pelas oitavas de final da Libertadores disputado nesta terça-feira (13), Boca Juniors e Atlético-MG empataram por 0 a 0 na Bombonera, em jogo bastante travado.

Poucas emoções foram registradas nos primeiros 45′. O Santos controlou as ações iniciais, mas o Boca Juniors reagiu na reta final e esteve mais perto do gol. O placar chegou a ser aberto pela equipe argentina, mas o VAR anulou o lance depois de cinco minutos de revisão.

Na segunda etapa, a situação não melhorou e o jogo ficou ainda mais amarrado e pouco movimentado. Nas poucas oportunidades de gol, o Boca Juniors conseguiu chegar com mais perigo.

O jogo de volta será realizado na próxima terça-feira (20), a partir das 19h15 pelo horário de Brasília, no Estádio do Mineirão em Belo Horizonte.

 

Primeiro tempo

O Atlético-MG começou tentando propor mais o jogo e teve as principais chances no início do primeiro tempo, mas o Boca conseguia controlar os danos no terço final  do campo e evitava sustos maiores.

A melhor chance do Galo foi aos 7′, no chute rasteiro de Hulk que chegou batendo de fora da área, passando  à esquerda do gol com algum perigo. O Galo seguiu tentando com Savarino na bola lançada, mas a zaga cortou.

Aos 11′, Nacho Fernández cobrou  falta e cruzou mas ninguém desviou. Aos 13′, Savarino cruzou com muita força e Alonso não conseguiu dominar. Três minutos depois, Keno recebeu bom cruzamento e finalizou com pouca força para Rossi defender.

Quando tinha a posse, o Boca trocava diversos passes no meio-campo e não conseguia espaço para ser mais efeito. A marcação santista ficava restrita ao meio-campo e não “empurrava” a equipe argentina para trás. Por isso, boa parte do primeiro tempo ficou sem perigo real de gol.

A partir dos 30′, os argentinos conseguiram duas boas jogadas consecutivas. Primeiro, houve a tentativa de Briasco na intermediária para avançar e finalizar à direita do gol. Porém, na primeira finalização de maior perigo, o Boca Juniors conseguiu marcar o primeiro gol, aos 35′.

Em jogada desenhada pelo lado direito, Nathan desviou mal e Réver tentou tirar duas vezes, mas González conseguiu cabecear tranquilamente para vencer o goleiro Éverson.

O VAR analisou o lance por mais de cinco minutos buscando uma possível falta dentro da área. Depois de ir ao monitor, Andres Rojas anulou o gol ao detectar falta de Diego González no cruzamento para a grande área.

Mesmo com o gol anulado, o Boca seguiu melhor na reta final da primeira etapa e quase abriu o placar nos acréscimos. Em bola de Pavón cruzada à meia altura, Weigdant mergulhou para surpreender a defesa do Galo, mas Éverson estava atento e fez uma grande defesa.

 

Segundo tempo

A intensidade não mudou na segunda etapa e o jogo seguiu morno, mas o Boca Juniors acabou ficando mais com a bola devido à estratégia defensiva adotada por Cuca, que resolveu baixar as linhas e “dar a bola” para a equipe argentina tentar construir o caminho do gol.

Tentando o contra-ataque, o Galo chegou aos 7′ com Zaracho recebendo na área após troca de passes buscando Hulk no cruzamento, mas a zaga se antecipou. Em seguida, Zaracho cometeu falta e encerrou a jogada.

Conseguindo responder com boa jogada, o Boca Junors levou perigo ao Atlético-MG. Villa cruzou na linha de fundo e a bola desviou na marcação, assustando o goleiro Éverson que mandou para escanteio.

Para o restante do jogo, Zaracho e Savarino saíram para as entradas de Borrero e Eduardo Vargas. Na equipe xenense, Orsini e Varela entraram nos lugares de Orsini e Varela, passando a atuar no 4-2-4.

No lance de maior perigo do jogo, o Boca quase abriu o placar no cruzamento vindo pela esquerda. A bola passou por Réver na pequena área e González esteve livre para marcar, mas não conseguiu alcançar.

Os minutos finais ficaram mais abertos por um curto período de tempo. Aos 37′, Pavón fez boa jogada dentro da área e chutou firme, parando na defesa de Éverson. Na jogada seguinte, Borrero pegou rebote no escanteio ao tentar responder pelo Galo mas isolou demais.

Pavón encerrou a sequência dominando depois de receber cruzamento na área, mas acabou sendo bloqueado pelos laterais do Atlético-MG. Hulk ainda tentou outro chute de fora  da área, mas a bola também saiu por muito.

Nos acréscimos, o Atlético-MG teve a chance final do jogo em cobrança de falta pelo lado esquerdo. Nathan esperou cruzamento dentro da área, mas não conseguiu alcançar e o jogo foi encerrado com empate sem gols.

 

FICHA TÉCNICA
BOCA JUNIORS 0-0 ATLÉTICO-MG

Data: 13/07/2021, 19:15
Estádio: Bombonera
Árbitro: Andres Rojas (Colômbia)

Substituições – Boca Juniors: Orsini (Medina); Varela (Gonzalez)

Substituições – Atlético: Vargas (Zaracho); Borrero (Savarino); Jair (Allan); Dodô (Réver); Calebe (Nacho Fernández)

Boca Juniors (4-3-3): Agustín Rossi; Weigandt, Sandez, Marcos Rojo, Izquierdoz; Medina, Diego González, Rolón,; Briasco, Villa, Pavón. Técnico: Miguel Ángel Russo

Atlético-MG  (4-2-3-1): Éverson; Mariano, Júnior Alonso, Nathan, Réver; Ignacio Fernández, Savarino; Zaracho, Tchê Tchê, Allan; Hulk. Técnico: Cuca

LEIA MAIS