Bruno Guimarães valoriza disputa das Olimpíadas: “só é menos importante que a Copa do Mundo”

Em grande fase no Lyon, Bruno Guimarães é um dos pilares do meio de campo da seleção olímpica do Brasil

Flavio Souza
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação / Bruno Pacheco / CBF

Por vetos de alguns clubes, André Jardine não pode contar com todos os jogadores que tinha planejado inicialmente para as Olimpíadas. E Bruno Guimarães, peça importante no esquema do treinador, quase foi mais um problema. Isso porque o Lyon chegou a dificultar a sua liberação para as Olimpíadas, conforme o próprio atleta explicou em entrevista coletiva realizada nesta terça-feira (13).

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

“Quando assinei contrato com o Lyon um dos diferenciais no acordo, em relação aos outros clubes que me queriam na época, era que eles (franceses) eram mais sensíveis (para liberar). Eles me contrataram no meio do Pré-Olímpico (na Colômbia, em janeiro de 2020). Eu vinha fazendo grande, excelente Pré-Olímpico e deixamos meio que combinado. No final dificultaram um pouco… mas, enfim, considero que a Olimpíada só não é mais importante do que a Copa. Tem peso enorme e sempre foi meu sonho disputar. Que a gente possa ir até a final e lá realizar a cereja do bolo, sair com o ouro.”

Mais informações da seleção olímpica

A seleção brasileira está na Sérvia na reta final da preparação das Olimpíadas. A previsão é de que o grupo esteja completo na próxima quinta-feira (15), com as chegadas de Douglas Luiz e Richarlison na parte da manhã. É provável que o substituto de Douglas Augusto, que ainda não foi definido, também se apresente no mesmo dia.

Na quinta-feira, mas na parte da tarde, será disputado o amistoso contra a seleção dos Emirados Árabes.

Já na sexta-feira (16), a delegação viaja para o Japão e inicia os treinos visando a estreia contra a Alemanha. A partida está marcada para às 8h30, no Estádio Internacional de Yokohama.

LEIA MAIS:

Andressa Alves comenta o fato de ser inspiração para outras jogadoras: “às vezes não caí minha ficha”

Rafaelle explica mudança defensiva do Brasil e trabalhos realizados para aprimorar o ataque