Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Mercado da Bola: Cuca abre o jogo sobre possível reforço do Atlético-MG

De olho no setor ofensivo, Atlético avalia possibilidades no mercado da bola

Eder Bahúte
Jornalista e assessor de imprensa.

Crédito: Divulgacao/Atlético

Em entrevista à Rádio Itatiaia, o técnico do Atlético, Cuca, foi novamente questionado sobre possíveis reforços que podem pintar no Galo. A bola da vez é Ademir, atacante do América que está em negociações para ser jogador do clube alvinegro.

Ademir está nos últimos meses de contrato com o Coelho. Neste momento, ele já pode assinar um pré-acordo com qualquer outra equipe. Nos bastidores, comenta-se que ele já assinou com o rival. A grande questão é se a liberação ocorrerá de imediata ou ficará mesmo para 2022.

“O Ademir tem vínculo com o América. Se vier para o Atlético, só vem ano que vem. A não ser que houvesse uma negociação antes disso. Parece que ele tem seis jogos, e se jogar a próxima, já não pode mais também jogar o Brasileiro (por outro clube)”, disse Cuca.

Veja também: Mercado da Bola: Atlético-MG fecha contratação de ex-meio campista do Flamengo

“A não ser que o América entendesse que fosse bom pra ele e para o jogador com ressarcimento. Teria que ficar bom pra todo mundo. Negócio quando é bom só pra um, não é bom pra ninguém. Se não ficar bom pra todo mundo, aí ele vem no ano que vem. Mas tenho muita confiança no Rodrigo (Caetano, diretor de futebol) e sei que ele vai fazer o melhor pra nós”, completou.

O América, por sua vez, não parece disposto em perder Ademir por agora. Marcus Salum, presidente americano, já disse em outras entrevista que o atacante será utilizado até dezembro.

No início do ano, o Palmeiras demonstrou forte interesse na contratação de Ademir. Na primeira proposta, o clube ofereceu R$ 3 milhões. Na segunda tentativa, o Verdão chegou a aumentar a oferta para R$ 5 milhões, mas novamente não teve sucesso na negociação.

Segundo a rádio Itatiaia, o Coelho esperava receber algo em torno dos R$ 6 milhões pela transferência.

LEIA MAIS: