Olimpíadas: Você lembra como foi a abertura dos jogos no Rio? Relembre

Há uma semana para o início das Olimpíadas de Tóquio, relembre como foi a abertura dos Jogos no Rio de Janeiro

Carolina Alberti
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução/Twitter

A cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro tem um lugar especial nos corações brasileiros. De voo do 14 Bis a desfile de Gisele Bündchen, o Maracanã viveu uma de suas memoráveis noites naquele 5 de agosto de 2016.

Sob os olhos do verde-amarelo Cristo Redentor, o Maracanã contou parte da história do Brasil. Também estendeu o tapete vermelho à primeira delegação de refugiados da história das Olimpíadas. E, claro, tudo isso ao som da diversa música brasileira.

Música, voo e desfile

Coube a Paulinho da Viola a execução do Hino Nacional. Na sequência, indígenas, coloniadores portugueses, negros escravos e imigrantes deixaram suas marcas no palco do Maracanã.

Na sequência, o aviador Santos Dumont deixou os telões para dar uma volta no Maracanã em seu 14 Bis.

Já a modelo Gisele Bündchen atravessou o estádio ao som de “Garota de Ipanema”, de Tom Jobim.  O neto do cantor, Daniel Jobim, foi o responsável por entoar esse clássico da música nacional.

A cerimônia de abertura ainda contou, ao vivo ou por vídeo, com: Luiz Melodia, Chico Buarque, Ludmilla, Cristian do Passinho, Lelezinha, Elza Soares, Marcelo D2, Zeca Pagodinho, Karol Conka, Mc Soffia, Jorge Bem Jor, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Wilson das Neves e Anitta. Bateria de 12 escolas de samba completou a festa.

Cuidado com a natureza

A festa brasileira também deu espaço para a preservação da natureza. Plantas deram forma aos aros olímpicos. Vídeos alertavam sobre o aquecimento global. E atletas plantaram sementes em pleno Maracanã.

Pira Olímpica

Talvez o momento mais aguardado de qualquer cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, a pira da Rio 2016 não deixou a desejar. Acesa por Vanderlei Cordeiro de Lima, ex-mataronista outorgado com a Medalha Pierre de Coubertin, a pira, que mais parecia um sol, deu vida ao Maracanã.

Para completar, o Brasil inovou ao criar a ‘Pira do Povo’, localizada na Candelária, no centro do Rio de Janeiro. Pela primeira vez os Jogos Olímpicos tiveram duas piras.

LEIA MAIS

VEJA COMO SÃO AS CAMAS “ANTI-SEXO” DOS APARTAMENTOS NA VILA OLÍMPICA

PANDEMIA FORÇA MUDANÇAS EM ESQUEMA PARA ENTREGA DE MEDALHAS