Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Simone Biles revela como “fugia da realidade” após sofrer abusos sexuais

Garantida em Tóquio 2020, Simone Biles falou sobre o período que sofreu violência do médico Larry Nassar

Mário André Monteiro
Jornalista com passagens por Portal iG, Fox Sports e Osasco Audax. Atualmente editor do Alemanha FC (http://www.alemanhafc.com.br). No Twitter: @alemao_mario e no Instagram: @marioalemao

Crédito: USA Gymnastic

A norte-americana Simone Biles, uma das maiores estrelas da ginástica artística de todos os tempos, resolveu abrir o jogo sobre os abusos sexuais que sofreu no passado.

Ela tem cinco medalhas olímpicas no currículo, sendo quatro de ouro e uma de bronze, todas conquistadas nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. A ginasta estará nas Olimpíadas de Tóquio 2020.

Aos 24 anos de idade, Biles falou sobre o assunto na série “Simone vs. Herself”. O documentário explora a trajetória da atleta no esporte e os desafios na preparação para os Jogos Olímpicos.

Confira o trailer da série documental:

Em um dos episódios, a ginasta relembra sua passagem pelo centro de treinamento no Texas, cenário dos abusos sexuais cometidos por Larry Nassar, antigo médico da seleção americana de ginástica.

“Todos esses anos, ninguém nunca nos disse o que era abuso sexual. Então nós, realmente, não sentíamos que estávamos passando por isso ou que éramos vítimas”, contou Biles.

“Me lembro de perguntar a uma de minhas amigas: ‘Ei, eu fui abusada sexualmente?’ e eu pensei que estava sendo dramático no início, mas ela disse: ‘Claro que não'”, lembrou a atleta, que continuou.

“Eu disse, ‘Tem certeza? Acho que não’. Sinto que, nesses casos, fui uma das que tiveram mais sorte, porque não entendi isso de forma tão ruim quanto algumas das outras garotas que conhecia”.

Traumas e depressão 

Após ter certeza que, de fato, havia sido abusada por Larry Nassar, Simone Biles desenvolveu trauma e depressão.

“Não queria sair do meu quarto e não queria ir a lugar algum. Eu meio que deixei todo mundo de fora. Não sei, provavelmente foi difícil para mim”, disse.

“Me lembro de estar no telefone com meu agente e dizer à minha mãe e a ele que eu dormia o tempo todo. Porque dormir era melhor do que me matar”, relembrou a norte-americana.

“Era minha maneira de fugir da realidade. Dormir era a coisa mais próxima da morte para mim naquele ponto, então eu dormia o tempo todo”, finalizou Simone Biles.

Acusado de abuso

O médico Larry Nassar foi condenado a 175 anos de prisão em 2018 após mais de 265 mulheres o acusarem de abuso sexual. Incluindo as ginastas Aly Raisman, McKayla Maroney e Gabby Douglas.

As denúncias das vítimas vieram à tona em 2016, através de uma reportagem do jornal “The Indianapolis Star”, e foi neste momento que as investigações começaram.

E MAIS

Aos 55 anos, Romário posta foto “saradão” e bomba na web

Ex-zagueiro é preso na Alemanha suspeito de incendiar uma casa

Rescisão com Danilo Avelar pode gerar “grande problema” ao Corinthians no futuro, diz especialista