Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Surfe nas Olimpíadas de 2024 será a 16 mil km de Paris; entenda

Competição será disputada em Teahupo’o, no Taiti, que politicamente ainda está vinculado à França

Fernando Cesarotti
Jornalista, professor universitário e fã ardoroso de qualquer esporte. Autor do OlimpCast, podcast sobre esportes olímpicos.

Crédito: Ondas de Teahupo'o devem proporcionar belas manobras - Foto: WSL

As competições de surfe nas Olimpíadas de Paris-2024 serão realizadas a 16 mil quilômetros da sede. Elas serão disputadas em Teahupo’o, no Taiti, um dos principais cartões postais do esporte, um dos motivos que levou à escolha pelo comitê organizador dos Jogos.

O Taiti é uma ilha localizada na Polinésia Francesa, arquipélago no  sul do Oceano Pacífico. Embora a região dispute algumas competições esportivas de forma autônoma, como no futebol, ela politicamente faz parte da França.

Veja como ficou o quadro de medalhas de Tóquio-2020

Teahupo’o tem ondas na média de 3m de altura, o que permitirá boas manobras e condições mais favoráveis que Tsurigazaki, a praia japonesa escolhida para o surfe nos Jogos de Tóquio-2020. Foi lá, no entanto, que o Brasil ganhou seu primeiro ouro nas Olimpíadas deste ano, com Ítalo Ferreira.

Quase todos os principais nomes do surfe mundial estarão lá em Taehupo’o a partir do dia 24 deste mês. Será a disputa da penúltima etapa do Circuito Mundial, mas o atual líder estará ausente: Gabriel Medina, que não se vacinou contra covid-19 e não poderá deixar o México, sede de etapa que começa nesta semana.

Recorde de distância

Esta será a distância mais longa da história dos Jogos Olímpicos entre uma cidade-sede e um local de competição. Mas não é a primeira vez que competições serão disputadas em outro continente.

Em 1956, nos Jogos de Melbourne, na Austrália, as competições de hipismo tiveram que ser transferidas porque o país exigia seis meses de quarentena para que os cavalos pudessem entrar. A solução, então, foi disputar as provas dessa modalidade em Estocolmo, na Suécia.

LEIA MAIS:

Isaquias Queiroz é recebido com festa no Brasil e chega já pensando em casamento

Balanço da maratona aquática: Ana Marcela Cunha consagra o Brasil