Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Guardiola ameaça deixar Manchester City após polêmica com torcida

Guardiola afirmou que deixará o Manchester City caso a torcida tenha problemas de relacionamento com o técnico; Entrevista causou polêmica na Inglaterra

Fabrício Carvalho
Jornalista formado / Rio de Janeiro. Redator de notícias, artigos e relatos sobre futebol nacional e internacional, basquete e esportes americanos.

Crédito: David Ramos/Getty Images

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (17), o técnico Pep Guardiola ameaçou deixar o Manchester City caso o embate com a torcida continue.

Aniversário CLUBE EXTRA

Clique e veja as melhores promoções!

A polêmica começou em entrevista pós-jogo no meio de semana, na vitória dos Citzens diante do RB Leipzig por 6 a 3 na UEFA Champions League. 38 mil pessoas estiveram presentes no Eithad Stadium, que possui capacidade máxima de 55 mil.

Nos microfones da TV inglesa, Guardiola disse que o clube “precisa” de mais torcedores no estádio e convidou mais gente à estar presente no próximo jogo em casa, diante do Southampton neste domingo (19), válido pela 5ª rodada da Premier League.

Porém, o comentário de Guardiola irritou Kevin Parker, responsável pela principal torcida organizada do Manchester City. Parker disse que Guardiola devia “se concentrar apenas em treinar a equipe” por não entender as dificuldades dos torcedores em conseguirem ingressos.

Em longa resposta nesta sexta-feira (17), o técnico tentou esclarecer a situação e disse que as críticas estavam sendo feitas fora do contexto. No final da resposta, colocou o cargo à disposição e disse que estará deixando o clube caso perceba que os torcedores sejam contra sua permanência.

Carta de Kevin Parker

“O que Guardiola disse na entrevista me surpreendeu. Não tenho certeza do que isso tem a ver com ele. Ele não entende as dificuldades que algumas pessoas podem ter para ir a um jogo no Etihad em uma quarta-feira à noite às 20h. Eles têm que pensar em crianças, talvez não possam pagar, e ainda há alguns problemas relacionados ao coronavírus. Não vejo por que ele comenta sobre isso.

Ele é absolutamente o melhor treinador do mundo, mas, da forma mais gentil possível, acho que talvez ele devesse parar com isso. As pessoas estão falando mais sobre os comentários dele do que sobre um jogo fantástico. Questionar o apoio, que é efetivamente o que ele está fazendo, é decepcionante e desnecessário.

Também faz o favor de torcedores de outras equipes que querem aproveitar todas as oportunidades para apontarem que o City não possui torcedores. As pessoas referem-se ao Etihad como ‘Emptyhad’. É um pouco divertido para os torcedores adversários, mas não há justificação para isso. Não é factual. A nossa presença é geralmente excelente.

“Claro que ele gostaria de uma casa cheia, mas não sei por que ele questionaria se teríamos uma contra o Southampton no sábado. É um cenário diferente. Jogamos dois jogos em casa no sábado e o estádio – do ponto de vista do City, pelo menos, o Norwich não vendeu sua lotação completa – estava lotado em ambas as ocasiões. Não creio que ninguém no clube deva questionar a lealdade dos torcedores. É frustrante”.

Resposta de Pep Guardiola

“Estou surpreso com o que aconteceu por causa deste cara (Kevin Parker). Não é a primeira vez que digo isso na minha carreira. Não vou pedir desculpas pelo que disse. O que eu disse foi que precisamos do apoio. Não importa quantas pessoas venham, mas convido-as a virem desfrutar do jogo porque precisamos do apoio.”

“Sempre digo, pessoal, se quiserem se juntar a nós ficarei muito feliz, porque sei o quanto vai ser difícil. Prefiro estar com meu povo do que sem ele. Mas se eles não vierem por nenhum razão é perfeito. Eu nunca digo ‘Por que você não veio?’. O Sr. Parker deveria revisar os comentários que eu fiz no dia seguinte, mas não vou me desculpar com ele.”

“Conheço a história. Aprendi a história deste clube, o que significa viajar e seguir esta equipe. Não quero ser como o United, Liverpool, Barcelona, ​​Bayern de Munique, Madrid, como todos os grandes clubes, nós somos quem somos. Eu gosto. Para entender mal e colocar algumas palavras na minha boca coisas que eu não disse, eu não gosto disso. Eu nunca terei um problema com meus torcedores. Se eu tiver um problema eu peço demissão, eu sou um deles. Desde o primeiro dia, tenho tentado fazer o meu melhor.”

“Gosto de jogar no estádio com os meus torcedores. Foi um jogo difícil contra o Leipzig. Estava exausto, vi a minha equipe no vestiário como era difícil e naquele momento pensei que daqui a três dias é Southampton, e eu disse venham se juntar a nós, venham fazer juntos, venham vencer o time do Ralph [Hasenhuttl] porque eu sei como vai ser difícil.”

“Esta é a minha mensagem, mas se esse cara quiser entender mal meus comentários, isso é um problema, mas estou aqui para defender o que eu disse. Se eu cometer erros, estou aqui para pedir desculpas, mas nisso caso eu não vou me desculpar. É para fazer parte de algo, e fazer isso juntos. Eu gosto da torcida que temos. “

LEIA TAMBÉM

David Luiz no Flamengo e Daniel Alves fora do São Paulo: veja o que rolou no Mercado da Bola nesta semana

Daniel Alves, Luís Fabiano e mais: cinco brasileiros que fizeram história no Sevilla

Neymar chama Daniel Alves de “bobo” após lateral imitar animais enquanto se exercita

Provocação à Argentina e treta com Vidal: veja 5 polêmicas que Richarlison se envolveu recentemente