Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Técnico especulado para assumir a seleção da Venezuela renova com o Colo-Colo

Gustavo Quinteros assinou contrato com o Colo-Colo até dezembro de 2023

Wilson Pimentel
Jornalista esportivo desde 1998. Cobriu os principais eventos esportivos da última década. Passou pelas redações do SBT, Record TV, CNT, Esporte Interativo, Rádio Tupi, Rádio Brasil e Rádio Manchete. É correspondente de veículos de comunicação da Colômbia, Croácia, Paraguai e Portugal. Está no Torcedores.com desde 2019.

Crédito: Divulgação/ Colo-Colo

O técnico Gustavo Quinteros, que foi alvo de especulações nos últimos dias na seleção venezuelana, vai ficar no Colo-Colo. O Torcedores.com apurou que o treinador argentino naturalizado boliviano renovou contrato com o clube até dezembro de 2023.

Ainda segundo apurou a reportagem, o presidente Aníbal Mossa e Gustavo Quinteros alinharam um acordo verbal neste sábado para o clube renovar por duas temporadas com o Colo-Colo.

De acordo com fontes próximas à negociação, o estafe do treinador exigiu a inclusão de uma cláusula rescisória para que Gustavo Quinteros pudesse assinar sem custos com Boca Juniors e River Plate. Afinal, ele nunca comandou uma equipe do futebol argentino.

Além disso, o acordo prevê uma amarra que o libera para comandar uma equipe nacional. Ao longo da carreira, Gustavo Quinteros comandou a Bolívia entre 2011 e 2012 e o Equador entre 2015 e 2017. Entretanto, foi criticado pelo fraco desempenho dos times nas Eliminatórias.

Contratado no ano passado, Gustavo Quinteros livrou o Colo-Colo do rebaixamento no Campeonato Chileno. Nesta temporada, por exemplo, o time é o líder da competição com 52 pontos. Além disso, conduziu o Cacique ao título da Copa do Chile.

A carreira de Gustavo Quinteros

Gustavo Domingo Quinteros Desabato iniciou a carreira de treinador no futebol boliviano em 2010. Lá, comandou o Oriente Petrolero. E na temporada seguinte foi convidado para treinar a seleção da Bolívia nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014.

Porém, ele deixou o comando do time nacional devido aos maus resultados na competição. Posteriormente, acertou sua ida para o Emelec. Após três temporadas à frente dos Elétricos, o treinador assumiu a seleção equatoriana onde conquistou 13 vitórias em 33 partidas.

Após fracassar na tentativa de classificar o Equador para a Copa de 2018, o argentino passou pelo Al Nassr, da Arábia Saudita, Al Wasl, dos Emirados Árabes, Universidad Católica, do Chile e Club Tijuana, do México. 

As melhores notícias de esportes, direto para você

    

 

LEIA MAIS: 

Com passagem pelo Barcelona, ex-joia do Fluminense vai jogar terceira divisão do Carioca 

Gestão de Futebol é tema de curso online com Alexandre Mattos 

Alianza Lima mira dois nomes para fazer dupla com Paolo Guerrero e pode contratar jogador do Cruzeiro